Mercado de WiMAX não é mais emergente


A tecnologia WiMAX está passando do estágio de apresentações em “power point” e se tornando realidade. “Até 2007 houve muita empolgação e planos audaciosos, mas hoje as operadoras começaram a implantar efetivamente a tecnologia”, constatou hoje Monica Paolini, da consultoria internacional Senza Fili, durante o 14º Encontro Tele.Síntese. Ela avalia que o WiMAX “não é …

A tecnologia WiMAX está passando do estágio de apresentações em “power point” e se tornando realidade. “Até 2007 houve muita empolgação e planos audaciosos, mas hoje as operadoras começaram a implantar efetivamente a tecnologia”, constatou hoje Monica Paolini, da consultoria internacional Senza Fili, durante o 14º Encontro Tele.Síntese. Ela avalia que o WiMAX “não é mais tecnologia emergente, está se tornando estabelecida, mas o número de redes ainda é pequeno”. A definição do que é fixo e móvel está mudando, e o WiMAX pode afetar bastante essa mudança, afirma a consultora.

Mercados fortes

O principal mercado para  a tecnologia, segundo Monica, é formado pelos países emergentes, que serão os mercados fortes de WiMAX. Ela considera que “os mercados desenvolvidos são os mais difíceis. A Europa Ocidental, por exemplo, é o pior mercado para WiMAX, pois já tem muita competição e infra-estrutura instalada”. A oferta de espectro também é um fator que favorece a tecnologia nos países emergentes. Monica cita o exemplo da República Dominicana, um país pequeno onde já há duas redes de WiMAX móvel funcionando “porque o espectro estava disponível, pois uma operadorea, que tem 200 MHz de espectro, lançou voz, dados e TV, e isso maximiza a remuneração da infra-estrutura.”

3G

Sobre a tecnologia de terceira geração da telefonia celular (3G), a consultora destaca a complementaridade das duas tecnologias. Ela lembra que a 3G é uma tecnologia de voz, não de dados, e a maior demanda atual é por tráfego de dados. “Mobilidade é a tecnologia mais conveninete, e a maioria das ligações atendidas em celulares é feita em lugares onde há um telefone fixo.” Para Monica, a mobilidade “não é um serviço premium, é só um modo diferente de usar e vender um serviço”. Nesse sentido, considera que o WiMAX possui um grande potencial, “pois os usuários de 3G ainda consideram esse serviço caro”, concluiu.

Anterior Embratel assume compromisso de comprar equipamentos WiMAX da indústria nacional
Próximos Especialistas dizem que não há modelo universal de WiMAX