Mercado de smartphones abre espaço para pequenos


Há pouco mais de dois anos operando no Brasil, a italiana Onda, que aqui atua como Onda Mobile Communication América Latina, já comemora alguns resultados. De acordo com Vicenzo di Giorgio, seu presidente, a empresa deve faturar este ano R$ 50 milhões, contra R$ 32 milhões em 2010 (na Itália, seu faturamento é de 100 milhões de euros). E espera comercializar um milhão de unidades de modems, produto pelo qual é mais conhecida no mercado brasileiro, e cerca de 300 mil aparelhos celulares.

A Onda América Latina por enquanto tem sua atuação restrita ao Brasil. “Vamos nos consolidar primeiro, para depois buscar outros mercados da região”, explica ele. Animado com o tamanho do mercado brasileiro para aparelhos celulares, que poderá atingir este ano 50 milhões de unidades, Giorgio avalia que o negócio é tão bom que há também espaço para os fabricantes menores. “Pesquisa da GfK mostra que, em um ano, o market share dos fabricantes menores saiu de praticamente zero para 15%”, diz ele.

Produtos

A Onda entrou no mercado brasileiro em 2009 vendendo modems de alta velocidade – comercializa aqui uma versão de 7,2 Mbps para redes HSDPA – e este ano passou a atuar também no segmento de smartphones. Ela foi o primeiro fornecedor a firmar parceria com uma operadora, no caso a TIM, para comercializar um aparelho dual chip, o N235.

Recentemente, a empresa firmou parceria com a Opera Software para utilizar o navegador Opera Mini no N235. O sistema permite ao usuário acessar vários sites através de navegação por abas e proporciona uma conexão mais rápida devido à velocidade de renderização.

Ainda este ano, a empresa, que tem seu centro de P&D em Pordenone, no norte da Itália, vai trazer mais dois novos modelos de smartphones, comercializados tanto para operadoras quanto no mercado de varejo. “Para poder conquistar uma fatia desse mercado dominado pelos grandes fabricantes é preciso ter uma assistência técnica diferenciada, um 0800 eficiente e facilidades, como troca na hora de produto com defeito”, esclarece Giorgio. (Da Redação)

Anterior Demissões na Espanha não afetam o Brasil, informa Telefônica
Próximos Tellfree amplia rede e já cobre 524 cidades