Mercado brasileiro de PCs encolhe 35% no 3º tri


shutterstock_Photobank gallery_Tecnologia_Computador_TIC_O mercado brasileiro de PCs tem se comportado muito pior do que o resto do mundo. Enquanto lá fora a expectativa é de retração de um dígito neste ano, por aqui, os resultados acumulados indicam que o recuo será de dois dígitos. No terceiro trimestre, a venda de computadores no país despencou 35% em comparação com o mesmo período de 2015.

Entre os meses de julho e setembro, foram vendidos 1.047 milhão de máquinas. Do total, 373 mil unidades foram desktops e 674 mil notebooks, com quedas de 39% e 32%. Os dados fazem parte do estudo IDC Brazil PCs Tracker Q3, realizado pela consultoria IDC Brasil.

“O mercado brasileiro de PCs está canibalizado. É cada vez mais comum o consumidor preferir um celular com configuração robusta e boa qualidade de navegação a um computador. Prevíamos um terceiro trimestre mais aquecido, com o varejo abastecendo os estoques para as datas especiais como Back Friday e Natal, mas esse movimento não aconteceu. Os canais tinham estoque e acabaram postergando as compras”, diz Pedro Hagge, analista de pesquisa da IDC Brasil.

Do total de computadores vendidos no terceiro trimestre de 2016, 366 mil foram para o mercado corporativo e 681 mil para o consumidor final, com quedas de 26% e 38%, respectivamente, em relação ao terceiro ao mesmo período de 2015. “As empresas privadas estão adiando investimentos e a compra de computadores e o setor público está travado, devido às eleições, troca de governos, gestões endividadas e outros problemas políticos e econômicos. Não há expectativas de melhoras para os próximos meses”, completa o analista da IDC.

Ainda de acordo com o estudo da IDC, os computadores ficaram R$ 105 mais baratos no terceiro trimestre. “O ticket médio no período foi de R$ 2.334, ou seja, 4% a menos do que nos meses de julho, agosto e setembro de 2015, quando o mercado trabalhava com o dólar mais alto”, finaliza Hagge. (Com assessoria de imprensa)

Anterior O3B e Ozônio ampliam cobertura de banda larga por satélite na Amazônia
Próximos TCU aponta riscos de judicialização e dano ao erário com a mudança do modelo de telecom

1 Comment

  1. Vagner Ornelas
    1 de dezembro de 2016

    Vale lembrar que o consumidor também muitas vezes tem uma experiência de velocidade de conexão maior no celular, através da rede 4G do que no PC que está conectado à internet banda larga fixa, que paro no tempo…