Mercadante dá posse a secretários e pede foco na inovação


Ao dar posse a novos secretários, o ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, disse nesta quarta-feira (2) que inovação e internet são fatores essenciais para o desenvolvimento do país e devem permear as políticas públicas do ministério para  enfrentar  grandes desafios da pasta. Entre eles, a promoção da competitividade das empresas na economia globalizada e a capacidade dos chineses em produzir cada vez mais barato. Mas ressaltou que uma das  prioridades será usar a ciência, a tecnologia e inovação para erradicar a pobreza no Brasil, para dar igualdade de direitos, de acesso a uma escola de qualidade e a um sistema de saúde eficiente, de segurança pública, de emprego e de perspectiva de carreira profissional aos cidadãos brasileiros.

“Isso significa, na atualidade, muita atenção à sustentabilidade ambiental, gerar valor agregado à biodiversidade e na matriz energética de fontes limpas, por sermos um país que lidera essa agenda”, disse o ministro. Ele também destacou a importância de o país  se adaptar aos extremos climáticos, para evitar que tragédias como acontecida na região serrana do Rio no mês passado, voltem a se repetir. “Uma das ações do ministério será montar um sistema de alerta contra os desastres naturais, que estão se intensificando, especialmente desmoronamento e enchentes, que representam quase 70% das causas dos acidentes com vítimas”, disse.

A proposta do MCT, nesse sentido, é usar os recursos já existentes, integrando os radares meteorológicos militares com os do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisa Espacial), melhorando a capacidade de leitura das informações dos satélites, usando a capacidade de previsão meteorológica aliado ao levantamento geotécnico já concluídos das cidades, padronizar esse mapeamento para ter alguma capacidade de resposta no próximo verão. “Nós temos um papel extraordinário tanto na previsão dos desastres como no resgate e reposição das áreas atingidas”, disse.

Outra missão do ministério será impulsionar a tecnologia da informação para todas as áreas do país, reduzir a burocracia e aumentar a eficiência do serviço público, criar uma e-cidadania e e-gov mais competente e ajudar na implantação do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL), que visa massificar o acesso à internet no país. A política de inclusão social e assistência técnica da micro e pequena empresa também é prioridade no MCT, disse o ministro. Ele acredita que o acesso à tecnologia garantirá a sobrevida de pequenos empreendimentos. Nessa área, também defende maior atenção, sobretudo de qualificação profissional para as pessoas cadastradas no programa Bolsa Família.

Novos secretários

A Secretaria de Ciência e Tecnologia para a Inclusão Social (Secis) será comandada por Marco Antonio de Oliveira. Ele assumiu o lugar de Roosevelt Tomé Silva Filho, que continua como subsecretário. O novo secretário foi presidente do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

O professor do Departamento de Ciência da Computação do Instituto de Ciências Exatas (ICEx) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Virgílio Augusto Fernandes Almeida , substituiu Augusto Gadelha na Secretaria de Política de Informática (Sepin). O novo secretário é graduado em Engenharia Elétrica pela UFMG e possui mestrado em Informática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RIO) e doutorado em Ciência da Computação pela Vanderbilt University, nos Estados Unidos. Virgílio Almeida tem atuado, nos últimos anos, no Conselho Deliberativo do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Para a Secretaria de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento (Seped), o ministro Mercadante escolheu Carlos Afonso Nobre, ex-diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe/MCT). Nobre é considerado um dos maiores especialistas mundiais em mudanças climáticas, integra o Comitê Científico do International Geosphere-Biosphere Programme (IGBP). O secretário também coordena o programa Fapesp de Pesquisa em Mudanças Climáticas Globais e a Rede-Clima do MCT.

Nas secretarias Executiva (Sexec) e de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (Setec) não houve mudança. Luiz Antonio Rodrigues Elias e Ronaldo Mota darão continuidade aos trabalhos já desenvolvidos em ciência e tecnologia.

Anterior Anatel cria força-tarefa para a Copa do Mundo
Próximos Fujimoto é oficializado na Secretaria de Telecomunicações