19.02.18_Executivos da Oi_©Paula Johas_F3

*Leonardo Menezes

A Internet das Coisas já está entre nós, até porque, no mundo atual, dificilmente surge algo novo que não esteja conectado ou seja passível de conexão. Contudo, muito do que vemos são gadgets para pessoas físicas, tais como: smartwatch, smartband, óculos de realidade virtual e sensores domésticos dos mais diversos tipos. Isso tudo tem movimentado o mercado de varejo, mas e o mercado B2B? O que essa onda tecnológica pode fazer pelo seu negócio?

Antes de mais nada, vale lembrar que do ponto de vista de negócio, a Internet das Coisas é sobre as coisas e não sobre a Internet. Apesar da conectividade ser essencial para viabilizar qualquer solução de IoT, isso é um papel que as operadoras vão suportar naturalmente. O ponto chave para a tomada de decisão pela adoção de uma solução IoT é a simples pergunta: no que o IoT pode efetivamente ajudar meu negócio?

Como para a maioria das soluções tecnológicas, não existe uma resposta única. Cada empresa se organiza de uma forma – adota políticas e processos distintos, o que gera desafios e problemas distintos. Dificilmente uma solução de IoT será igual a outra. A analogia é como uma caixa de ferramentas. Se bem utilizada, pode trazer melhorias.

Uma solução IoT para uma empresa envolve: sensores, logística, conectividade, plataforma de TI, gestão operacional e a aplicação em si. Essa complexidade não pode ser absorvida pela empresa. Na verdade, isso tudo é trabalho para os provedores da tecnologia, deixando para o cliente final uma visão de solução única contratada como serviço, num modelo de negócio simples, cobrando-se um valor único mensal por device.

O importante é conseguir traduzir os elementos tecnológicos para elementos de negócio. No mundo IoT B2B, a palavra mágica é uma só: informação! IoT nada mais é do que coletar dados através de sensores que transformam os mesmos em informações por meio das aplicações específicas. Essas informações podem ser usadas para gerar alarmes no campo operacional ou conhecimento no campo gerencial. Com esses dados é possível identificar padrões, perfis, movimentações – tudo para alimentar um modelo de tomada de decisão.

Não adianta olhar para o IoT pelo lado da tecnologia, é preciso olhar pelo lado da informação, enxergá-lo como ferramenta de gestão. Pergunte-se: o que eu gostaria de saber a respeito do meu negócio, mas hoje não consigo com os recursos que tenho em mãos? Saber mais sobre meus clientes? Monitorar melhor os processos? Identificar padrões e problemas? O IoT permite melhor visão do negócio para melhor gerí-lo, podendo gerar redução de custos ou alavancar receitas.

Antes de adotar uma solução de IoT, sua empresa precisa ter perguntas sobre seu próprio negócio e com isso formar parcerias com quem possa ajudar a respondê-las. Responder as perguntas certas é a chave para o sucesso. IoT no mercado B2B não é sobre a tecnologia, mas sim sobre o negócio. A questão é: sua empresa está preparada para lidar com todas as respostas que o IoT pode gerar?

Leonardo Menezes, Gerente de Produtos e Ofertas TI Corporativo da Oi.