Mediastream vai investir no mercado brasileiro


Especializada na captação de imagens, armazenamento e distribuição de vídeo, a Mediastream decidiu ampliar suas atividades no Brasil. Em julho, seus três sócios – um chileno e dois brasileiros – conseguiram um aporte de US$ 1,75 milhão, do fundo Amerigo Chile, ligado à Telefónica, que tem por objetivo alavancar empresas de tecnologia com potencial de crescimento. Seu modelo de negócios baseia-se na prestação de serviços de vídeo para empresas, agências de publicidade e entidades ou na distribuição de conteúdo para redes de TV e outros produtores. Entre seus clientes estão Microsoft e Coca Cola. Seu último trabalho no Brasil foi a captação de imagens de todas as palestras do Futurecom 2014, que aconteceu este mês em São Paulo.

Segundo Marco Lopes, um dos sócios, que ocupou posições na GVT, Positivo e TIM, a Mediastream conta com mais de 250 mil horas de streaming ao vivo, com conteúdos oferecidos por 70 marcas de diferentes setores. Criada há sete anos no Chile por Luis Ahumada, ela oferece conteúdo de vídeo ao vivo como sob demanda. “Nosso modelo é misto, mas a maior parte do conteúdo é patrocinado”, explica Lopes, que aposta na alavancagem da empresa na esteira do crescimento exponencial do tráfego de vídeo.

Com data center instalado na cidade de Santiago, e distribuição de conteúdo também nos Estados Unidos e Europa, a empresa conta com  CDN (Content Deliver Network) próprio e uma plataforma que faz toda a gestão do conteúdo e a adaptação automática do formato do vídeo à tela usada pelo cliente. “A plataforma entende se você está usando uma TV, um tablet ou um smartphone”, explica Lopes.

Anterior Dois fundos de private equity estão considerando a Portugal Telecom
Próximos ZTE registra lucro de US$ 114 milhões no trimestre