Ministério da Economia corta contratos de TI e reduz à metade planos de telefonia


By Pixabay

Com o objetivo de reduzir gastos, o Ministério da Economia cortou, em 2019, a contratação de desenvolvimento de softwares e de soluções de informática e serviços de telefonia móvel e pacote de dados para servidores, exceto para atividades de fiscalização. Além disso, este anos, os contratos de telefonia em vigor devem reduzir contas em 50%. A medida vale também para autarquias e fundações vinculadas.

O corte foi mais amplo, conforme portaria publicada nesta quinta-feira, 22, e atinge serviços de consultoria, treinamento de pessoal, diárias e passagens, além do cafezinho. A justificativa é a  necessidade de preservar os serviços de fiscalização, arrecadação e a manutenção dos sistemas de Tecnologia da Informação (TI) relacionados a Gestão Corporativa; Sistemas Estruturadores; Arrecadação Tributária e Aduaneira; Fazenda Pública e Folha de Pagamento da Previdência Social.

A Receita Federal, por exemplo, estava a ponto de parar a emissão de CPF e de pagar as restituições do Imposto de Renda por falta de recursos.

No caso de desenvolvimento de software, os órgãos relacionados terão o prazo de 30 dias para tomar as medidas necessárias à extinção dos contratos vigentes. Já os estagiários devem ser reduzidos à metade.

A portaria ainda prevê a redução da jornada de trabalho e a otimização da ocupação dos espaços físicos, com vistas a racionalizar os gastos de custeio e manutenção.

Anterior Android sem açúcar
Próximos Avança na Câmara PL que obriga comércio a informar uso de reconhecimento facial

Sem comentários

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *