MCTIC sai na frente e adere ao programa TransformaGov


O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) foi o primeiro órgão a aderir ao Programa de Gestão Estratégica e Transformação do Estado (TransformaGov), sob coordenação do Ministério da Economia. O programa tem como objetivo avaliar e transformar os modelos de gestão, processos de trabalho, arranjos institucionais e estruturas organizacionais, a fim de otimizar a execução de políticas públicas, tornar o gasto público mais eficiente e entregar mais valor à sociedade.

O MCTIC receberá um plano de trabalho customizado de acordo com o diagnóstico da necessidade de modernização da instituição avaliada. A partir dos dados levantados, o ME propõe um conjunto de soluções para que o órgão alcance o resultado esperado. “Temos várias ações que já foram desenvolvidas pelo Ministério da Economia e que podem tornar a atuação dos órgãos mais eficiente, como a transformação digital de serviços, a Plataforma +Brasil, o Táxigov e projetos de centralização de compras públicas”, explicou o secretário de Gestão do Ministério da Economia (ME), Cristiano Heckert,

As ações incluem a revisão do Plano Estratégico do órgão e seu alinhamento com o Plano Plurianual (PPA) 2019-2022 e com a Estratégia Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Endes). Também estão previstas a melhoria de serviços públicos, o aperfeiçoamento de processos internos, e a readequação de estruturas organizacionais vigentes, entre outras ações.

A Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia (SEDGG/ME) coordenará a implementação das medidas propostas, o monitoramento e a avaliação dos resultados entregues pelo programa. “Temos excelentes profissionais para implementar o plano de nosso ministério”, afirmou o secretário-executivo do MCTIC, Júlio Semeghini. “Quando trabalhamos de forma integrada, conseguimos entregar os resultados de forma mais eficiente”, completou.(Com assessoria de imprensa)

Anterior Em retaliação aos EUA, governo da China só vai usar tecnologia local
Próximos Teles vão ao STF contra lei que proíbe oferta de SVA

Sem comentários

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *