MCTIC inicia mapeamento de serviços e pesquisadores IoT no país


TeleSintese-carro-cloud-conexao-rede-IoT-internet-das-coisas-nuvem-Fotolia_127409003

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) abriu hoje, 06, mais uma fase de suas consultas públicas para definição de um plano nacional para a internet das coisas. O objetivo da consulta pública é mapear as empresas e instituições científicas e tecnológicas (ICTs) que ofertam tecnologias, produtos, serviços e soluções no segmento, no Brasil.

As empresas interessadas em participar da pesquisa deverão fornecer informações como a quantidade de empregados, os produtos criados, a qual setor as aplicações são destinadas. Já as ICTs deverão abastecer a base de dados com as suas competências em tecnologias aplicáveis a IoT, o número de projetos realizados e a quantidade de pesquisadores envolvidos em atividades de pesquisa e desenvolvimento.

“Nosso objetivo é construir um atlas da Internet das Coisas no Brasil, identificando tudo que já vem sendo realizado neste campo e, consequentemente, o que ainda precisa ser feito. Além disso, essa ferramenta vai facilitar muito o intercâmbio de informações e a formação de parcerias entre as empresas e as ICTs, o que será essencial para o desenvolvimento do setor”, afirma o secretário de Política de Informática do MCTIC, Maximiliano Martinhão.

Os dados serão recebidos pelo consórcio que está conduzindo o estudo que irá apoiar o Plano Nacional de IoT, formado pela consultoria McKinsey, pela Fundação CPqD e pelo escritório Pereira Neto Macedo Advogados.

O site da consulta pública é este aqui.

 

Anterior Mercado brasileiro de celulares cresce 25,4% no primeiro tri
Próximos VP do Mercado Livre vai para a Movile