Mastercard traz sua carteira digital para o Brasil


 
Após o lançamento oficial há cerca de um ano, a MasterCard anunciou nesta quinta-feira o início da oferta de sua carteira digital, a MasterPass, no Brasil. O produto, diferentemente de outros mercados, será oferecido no Brasil apenas por meio de parceiros – instituições financeiras ou não – que podem alterar o layout para que se adpte a cada marca. Até o momento, em termos de emissora, apenas a MasterCard fechou um acordo com a Caixa Econômica Federal que oferecerá seu produto para os brasileiros – clientes ou não – até o final do ano. A empresa, porém, vem negociando tanto a oferta da solução de carteira digital completa, quanto a adaptação de carteiras digitais de terceiros às funcionalidades da MasterPass, por meio de APIs.

A carteira digital da MasterCard é agnóstica em relação às bandeiras dos cartões – o usuário pode incluir cartões de concorrentes -, que podem ser de crédito, débito e pré-pagos. A promessa para o usuário, que pode carregar a carteira digital em smartphones e tablets ou qualquer dispositivo conectado, é a agilidade na conclusão da compra, com livro de endereços salvo e, futuramente, programas de fidelidade integrados, ofertas e outras. Realizando apenas o login na carteira digital, o usuário pode realizar as compras, sem necessidade de preencher todos os dados a cada compra. No caso dos estabelecimentos comerciais que contam com o botão de check out expres – atualmente 20 mil estabelecimentos no mundo já foram credenciados – MasterPass, o usuário é dispensado de fazer login na própria loja e de guardar diversos logins e senhas. 

Essa funcionalidade, o check out express, pode ser usada também por empresas que têm carteira digital proprietária. “Conseguimos integrar com nossos APIs para ter o uso do botão MasterPass. Somos uma plataforma aberta e abrangente, acreditamos que assim podemos crescer e facilitar a vida do consumidor”, declarou o vice-presidente dos produtos MasterCard Brasil e Cone Sul, Marcelo Tangioni. No Brasil, a loja virtual Girafa e a empresa de soluções de pagamento maxiPago! fecharam acordo com a MasterCard, mas, segundo o executivo, a entrada de temporada de vendas para o Natal fez com que outras interssadas esperassem para incluir a função apenas no início do ano que vem. 

De acordo com Tangioni, a oferta do MasterPass ao varejo vem sendo muito bem recebida porque opera no modelo “pass through”, transparente para a loja que mantém sua estratégia de Customer Relationship Management (CRM), em vez do modelo de adquirentes, tais como o do PayPal e do Pague Seguro, por exemplo, que credenciam os estabelecimentos comerciais e negociam taxas. “Eu enxergo esses participantes da cadeia como estabelecimentos comerciais, são nossos clientes em alguns casos e vão competir em outros, mas o modelo é diferente”, aponta o executivo. Sobre os concorrentes, em geral, Tangioni alega que a solução de carteira digital da MasterCard ganha em capilaridade e convergência multicanal. 

Loja física
No caso de lojas físicas, a aposta da MasterCard é no pagamento por NFC (tecnologia de troca de dados pro aproximação): o usuário aproxima o smartphone da máquina de cobrança digital que conta com o recurso e, em transações acima de R$ 50, insere a senha. A alternativa para aqueles – lojas e usuários – que não dispõe de NFC é utilizar sistemas como o QR Code, espécie de código de barras para o celular. 

“Quando o usuário compra com o MasterPass usando QR Code acaba a discussão do charge back [quando o usuário não reconhece a compra] porque ele passa por certificação do usuário]. Isso é algo muito crítico para o lojista hoje, que tem problemas financeiros sérios decorrentes desse tipo de situação”, explicou Marcelo Theodoro, diretor senior de convergência digital e e-commerce da companhia para a América Latina.

Transação entre usuários 
A MasterPass, que deve concorrer com as demais carteiras digitais como a do Google e do PayPal, ainda não prevê a transação entre usuários, como é possível nos dois concorrentes. De acordo com Theodoro, a solução ainda deve incluir muitas novas features em 2014 e essa seria uma evolução natural. “Nosso objetivo é ser a melhor opção do mercado”, declarou.

Atualmente, a MasterCard é parceira da Telefónica no Zuum cartão pré-pago físico e digital, no Brasil e mais 12 países, cujo foco é a população não bancarizada. 

Emissor
A Caixa Econômica Federal oferecerá a solução de carteira digital não apenas aos seus clientes. À primeira vista, a opcão pode parecer estranha. Mas, a instituição financeira, ao optar por esse modelo, assim como qualquer outra que fizer a mesma opção, ganha uma base de dados relevante de possíveis clientes, com acesso a seu perfil financeiro e preferências comerciais, algo a ser definido no contrato com o usuário. “Existe uma oportunidade de cross seling muito grande. Ela ainda ganha com a possibilidade de aumentar o número de transações realizadas, uma vez que aumenta a segurança com a autenticação do usuário. Ainda, trazer uma tecnologia inovadora para o mercado é importante para o posicionamento de mercado da instituição”, aponta Tangioni. Um emissor, porém, não pode ter acesso às informações segmentadas por cartão, uma vez que a MasterCard respeita cada um dos concorrentes.

A MasterPass já foi lançada na Australia, Canadá, Estados Unidos e Reino Unido. (Da redação) 

 

 

Anterior Telecom Italia contrata Morgan Stanley para estudar vendas das torres da TIM
Próximos Para Bonilha, compra do satélite resultará na retomada da autonomia tecnológica do país nesse setor.