Marinha distribui sinais de radar pela internet


Um das atrações do estande das Forças Armadas, na exposição realizada paralelamente ao Campus Party Brasil, na semana passada, em São Paulo, foi o sistema de distribuição de vídeo radar sobre IP. Desenvolvido pelo Instituto de Pesquisas da Marinha, o sistema, que envolve uma placa e software, já está em operação na vigilância da Baía …

Um das atrações do estande das Forças Armadas, na exposição realizada paralelamente ao Campus Party Brasil, na semana passada, em São Paulo, foi o sistema de distribuição de vídeo radar sobre IP. Desenvolvido pelo Instituto de Pesquisas da Marinha, o sistema, que envolve uma placa e software, já está em operação na vigilância da Baía da Guanabara, e atrai a atenção de secretarias de segurança pública. Mas o projeto não está concluído. O próximo passo, segundo o capitão de corveta Marcio Rodrigues, do INPQ, será migrar o sistema operacional de Windows para Linux. “O Linux opera em tempo real, o que não ocorre com o Windows, que tem um delay. Se isso se soma ao retardo da própria internet, pode comprometer o processo”, explica Rodrigues, especialista na área de processamento de sinais.     

O sistema da Marinha consiste basicamente na digitalização dos ecos (o retorno das ondas eletromagnéticas emitidas pela antena ao esbarrar em um obstáculo), depois de recolhidos pelo receptor. As imagens digitais são enviadas para um servidor e, de lá, distribuídas via internet. Com isso, o monitoramento de uma área qualquer pode ser acompanhado à distância, pela internet.

Embora o sistema tenha sido desenvolvido para atender às necessidades de proteção da própria Marinha, responsável pela fiscalização das costas brasileiras, ele se revelou adequado para a fiscalização de fronteiras, diz o capitão Rodrigues. Segundo ele, há secretarias de segurança pública interessadas em utilizá-lo. Esse interesse é que faz a equipe do INPQ acreditar que conseguirá os recursos para a segunda fase do projeto junto a algum órgão para financiar a pesquisa do país.

Anterior CPqD assina contrato na Costa Rica
Próximos Nokia e Google em parceria para busca em celulares