Maranhão lançará concorrência internacional para conectar 77% da população


Iniciativas estaduais foram apresentadas durante o 57º Encontro Tele.Síntese / Foto: Gabriel Jabur

O Governo do Maranhão lançará, no próximo dia 31 de julho, licitação internacional, orçada em R$ 450 milhões, para implantar 6.500 km de fibra ótica e levar internet de banda larga a 77% da população em 105 cidades e aos órgãos públicos estaduais. Foi o que anunciou nesta terça-feira, 25, no 57º Encontro Tele.Síntese, o presidente da Empresa Maranhense de Recursos Humanos e Negócios Públicos (Emarhp), Mayco Pinheiro. 

Com essa iniciativa, o Maranhão deixará de ser o estado menos conectado do país, onde apenas 31,6% dos habitantes têm acesso a internet. “Boa parte da internet que existe nem é fornecida com fibra ótica, mas sim com rede de cobre”, comparou. Para tanto, haverá uma PPP (Parceria Público-Privada) com boa parte dos investimentos sendo assegurados por recursos do FPE (Fundo de Participação dos Estados).

“A iniciativa privada não tem condições de investir  nessas infovias, o que demanda alto risco e elevados investimentos”, avaliou. Ao mesmo tempo, apontou que o Estado não tem perfil para assumir esses serviços em curto espaço em razão da morosidade dos processos administrativos.

Por meio da PPP,  serão oferecidos também à administração estadual acesso à tecnologia de videoconferência, espaço para tráfego de  dados e Voip, serviço que permite uso de computador ou smartphone para ligações nacionais ou internacionais. É prevista também a instalação de pontos de Wi-fi em municípios menores, inclusive 30 deles que apresentam as menores taxas em IDH (Índice de Desenvolvimento Humano).

Iluminação Pública

Outra experiência apresentada no painel foi apresentada pelo gerente da PBH Ativos, André Sampaio Costa Silva, gerente de Projetos da PBH Ativos, que mantém contrato de R$ 1 bilhão com a Prefeitura de Belo Horizonte para a modernização da iluminação pública da capital com lâmpada de led. O projeto prevê o compartilhamentos de postes e de infraestrutura para a instalação de redes de telecom.

“A iniciativa privada não ficou aguardando e propôs a PPP”, detalhou o gerente da PBH. Segundo Silva, a parceria permite a criação de  novas alternativas de negócios, além de reduzir o consumo de energia elétrica e permitir redução da taxa de iluminação pública.

Ampliação na Bahia

A ampliação dos serviços de telecomunicações e conectividade pelo Governo da Bahia foi abordada pelo secretário estadual do Planejamento, o ex-senador Walter Pinheiro. Ele destacou que o governo vai fazer uma megalicitação para contratar serviços de conectividade, telefonia, central de atendimento  e videomonitoramento, de forma bastante abrangente. 

“O projeto Rede Governo IV envolve serviços imprescindíveis para a população em toda a Bahia nas mais diversas áreas, como Saúde, Educação, Segurança Pública e Agricultura, com conectividade, videomonitoramento, reconhecimento facial, reconhecimento de placas, serviços de imagem para a rede de saúde, controle de acesso a prédios públicos e muito mais”, detalhou o secretário.

Veja o comentário do presidente da Emarhp, Mayco Pinheiro.

Anterior União precisa coordenar a infraestrutura dos vários níveis da federação, defendem operadoras
Próximos Sai decreto com Plano de Internet das Coisas e pagamento de Fistel deve cair