Mais de 40 empresas disputam indicação para administração judicial da Oi


Terminou ontem,11, o prazo para o cadastramento na Anatel das empresas interessadas em atuar como a administradora judicial no processo de reestruturação da concessionária Oi. Conforme fontes da agência, mais de 40 empresas se inscreveram para a árdua tarefa.

Empresarios à procura do horizonte freepikTerminou ontem,11, o prazo para o cadastramento na Anatel das empresas interessadas em atuar como a administradora judicial no processo de recuperação da concessionária Oi. Conforme fontes da agência, mais de 40 empresas se inscreveram para a tarefa.

A relação das empresas deverá ser enviada para o juiz  Fernando Cesar Ferreira Viana, da 7ª Vara Empresarial da Comarca da Capital do Estado do Rio até o dia 19, pois ela precisa ainda ser avaliada pelo Conselho Diretor da agência.

Inicialmente, a intenção é enviar para a justiça toda a relação, com uma descrição das atribuições de cada empresa cadastrada, e indicação daquelas que têm ais expertise no assunto. Na relação há escritórios de advocacia, empresas de auditoria, de consultoria. Nomes conhecidos como KPMG ou PricewaterhouseCoopers ou Deloitte&Touche.

TCU

A Oi entrou com pedido de recuperação judicial no dia 20 de junho, aprovado pela justiça 10 dias depois, condicionada à assembleia dos acionistas, que precisa confirmar o pedido, conforme estabelece o estatuto da empresa.

Por causa desse pedido, onde a Oi inclui no processo de incapacidade de pagamento do montante total de R$ 65,4 bilhões os valores de R$ 10 bilhões de multas da Anatel, o Tribunal de Contas da União (TCU) mandou reavaliar a assinatura do TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) assinado entre a agência e a concessionária, no valor de R$ 3,6 bilhões, que teria entrado também no ato.

Anterior Oi tem novo acionista com participação relevante
Próximos Projeto contra limite na franquia de internet não é votado e perde a urgência