Mais concentração: FastWeb é comprada pela Swisscom. Wind quer a Tiscali.


Hoje, 28 de março, a imprensa italiana informou que a diretoria da FastWeb (1), principal provedor alternativo de serviços banda larga do país, aprovou a proposta de compra hostil feita pela Swisscom. E, segundo outra notícia veiculada por uma estação de rádio da Itália, a também italiana Wind (2), operadora de serviços convergentes, estaria cogitando …

Hoje, 28 de março, a imprensa italiana informou que a diretoria da FastWeb (1), principal provedor alternativo de serviços banda larga do país, aprovou a proposta de compra hostil feita pela Swisscom. E, segundo outra notícia veiculada por uma estação de rádio da Itália, a também italiana Wind (2), operadora de serviços convergentes, estaria cogitando em fazer uma oferta de compra hostil pela Tiscali (3). Esse noticiário acrescenta que a Wind vem avaliando a aquisição há meses, e poderia vender a sua operação do Reino Unido ao grupo British Telecom, possivelmente trocando a Wind U.K. pelas unidades italianas da BT, Albacom e I.net. (Da Redação, com noticiário internacional)

_________________________________________________________________________ 

Notas

(1) Segunda maior operadora fixa da Itália, a FastWeb se tornou um caso de sucesso internacionalmente conhecido pelo seu pioneirismo tecnológico e de serviços. Ela foi a primeira do mundo a combinar o uso extensivo do IP para gerenciamento integrado de voz, dados e vídeo em sua rede óptica (FTTH, fiber to the home) e com conexões xDSL. Com isso, a empresa atingiu dois objetivos: oferecer banda praticamente ilimitada aos clientes, e maximizar a eficiência de seus investimentos em infra-estrutura. Além de voz, a FastWeb provê acesso internet e TV via conexões DSL e FTTH.

(2) Criada em 1997, a Wind Telecomunicazioni é uma operadora de serviços integrados (telefonias fixa e móvel, internet), que já pertenceu à estatal italiana de energia elétrica, Enel, que a vendeu à Orascom Telecom Holding (*) em 2005. A Wind opera redes GSM (900/1800/E900), GPRS, EDGE e UMTS (videochamada e banda larga móvel). Sua rede HSDPA (High-Speed Downlink Packet Access) está em desenvolvimento, com previsão de entrar em operação neste ano.
(*) A Orascom Telecom (ou Orascom Telecom Holding) é a primeira corporação multinacional egípcia, e é uma das principais integrantes do grupo Orascom. A empresa opera redes GSM em sete países do Oriente Médio, África e Sul da Ásia, cujos mercados estão em franco crescimento. Em dezembro de 2006, a operadora tinha mais de 50 milhões de assinantes. Segundo noticiário internacional, a Orascom estaria interessada em entrar no mercado europeu, a começar por uma eventual participação na conturbada Telecom Italia.

(3) Com sede em Cagliari (Itália), a Tiscali além de prover serviços internet e de telecomunicações no seu país sede, tem operações na Alemanha, Holanda, Reino Unido e República Tcheca. No final dos anos 90, a operadora comprou vários ISPs europeus mas, recentemente, vendeu inúmeros desses ativos a outras companhias.

Anterior Fórum Mundial divulga ranking em TI; Brasil está em 53º.
Próximos Hélio Costa culpa a privatização das teles pela falta de uma rede pública de TV