Maioria dos internautas brasileiros vê risco em compras online


Pesquisa indica que métodos de segurança de fornecedores de pagamento via internet ainda não ganharam a confiança dos usuários. A pesquisa aponta que 67% dos usuários brasileiros têm medo de fraudes financeiras na internet.

No Brasil, 71% dos usuários de internet se sentiram vulneráveis enquanto realizavam compras online ou faziam transações online, e 57% dos usuários acessariam os sistemas de pagamento online com mais frequência se eles se sentissem protegidos contra fraude cibernética. Os números, que fazem parte de pesquisa conduzida pela Kaspersky Lab e pela B2B International, mostram que os métodos de segurança de fornecedores de pagamento online ainda são motivos de desconfiança dos consumidores.

A pesquisa aponta que 67% dos usuários brasileiros tem medo de fraudes financeiras na internet, e os dados mostram numerosos exemplos de desconfiança do consumidor. Por exemplo, 47% daqueles que fazem pagamentos online estão certos de que mesmo o aplicativo móvel oficial oferecido por empresas financeiras precisam de mais proteção antes que estejam verdadeiramente seguros. Além disso, 56% relatam que encerram uma operação financeira no meio do processo por não ter certeza sobre a segurança da transação.

O nível de proteção contra fraude cibernética é um fator importante para os usuários na hora da escolha de uma loja online ou um operador de serviço financeiro: 62% dos entrevistados disseram que eles prefeririam empresas que oferecessem métodos adicionais de segurança para proteger informações. Além disso, 74% dos pesquisados esperam que bancos, sistemas de pagamento e lojas online protejam seus computadores e dispositivos móveis contra fraude financeira.

Ao mesmo tempo, muitos estão cientes que precisam melhorar seus próprios métodos de segurança em adição às proteções oferecidas pelos fornecedores de pagamento. Enquanto 24% dos consumidores colocam toda a responsabilidade pela segurança de transações financeiras em bancos e 23% acreditam que eles têm toda a responsabilidade, 51% dos entrevistados acreditam que tanto clientes quanto bancos devem ser responsáveis pela proteção de informação financeira. Isto sugere que os usuários estariam abertos a aceitar novas ferramentas de suas organizações para ajudar a gerenciar suas responsabilidades compartilhadas de prevenir fraude online.(Com assessoria de imprensa)

Anterior Pouso Alegre oferece acesso via web a boletins escolares
Próximos Anatel registra 2,1 milhões de queixas contra serviços de telecom em 9 meses