Maioria dos brasileiros até 35 anos trocaria academia por telecom


Uma pesquisa da consultoria Oliver Wyman feita com oito mil consumidores espalhados por oito países (Brasil, Canadá, Estados Unidos, Espanha, França, Alemanha, China e Inglaterra) revela que os indivíduos estão abrindo mão de hábitos de consumo para aumentar gastos com smartphones e serviços de telefonia.

No Brasil, onde o levantamento ouviu 1.021 consumidores, 63% dos indivíduos com menos 35 anos declararam estar dispostos a sacrificar um ou mais hábitos de consumo para garantir gastos com smartphones e contratos com operadoras.

O recorte brasileiro do estudo mostra que a maioria dos consumidores cortaria despesas com academia (52%), alimentação fora de casa (53%) e compra de roupas (52%) para gastar com celular e operadoras. Até mesmo as reservas para o futuro perderiam para as despesas com telefonia móvel, de acordo com 51% da amostra.

Quanto mais jovem, maior a disposição em sacrificar hábitos de consumo em favor do celular. 71% dos jovens entre 18 e 24 admitem abrir mão de comer fora de casa, 72% deixariam de comprar roupas, 67% deixariam de viajar e 69% sarificariam reservas para o futuro para sustentar gastos com celulares.

A mesma pesquisa revela, no entanto, diferenças importantes entre gerações. Pessoas mais velhas estariam menos propensas a trocar gastos por smartphones ou planos melhores de telecom. Entre os indivíduos com mais de 35 anos, 44% manifestaram disposição trocar os gastos tradicionais pra ficarem mais conectados.

A amostra brasileira foi composta por 52% de mulheres e 48% de homens, divididos em grupos de 18 a 24 anos (15%), 25 a 44 anos (48%); 45 a 54 (21%); e 55 a 65 anos (16%). (Com assessoria de imprensa)

Anterior Oposição monta estratégia para evitar privatização dos Correios
Próximos Países amazônicos criticam entrega do domínio .amazon para a Amazon