Mackenzie e ZTE fazem parceria em Laboratório de Telecomunicações


Parceria com a gigante chinesa incrementará o curso de Engenharia Elétrica da Instituição com novas tecnologias na área de Redes de Telecomunicações. Os investimentos ultrapassam R$ 100 milhões

laboratorio mackenzie zte
O laboratório, no Mackenzie, construído em paceria com a ZTE. (Foto: Divulgação)

A Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM) inaugura na próxima semana o Laboratório de Telecomunicações Mackenzie – ZTE, em São Paulo. O laboratório foi construído em parceria entre a Escola de Engenharia da UPM – Engenharia Elétrica – e a ZTE Corporation, fornecedora de soluções em telecomunicações.

A cooperação incrementará o curso da universidade, dando acesso a pesquisa e testes com novas tecnologias na área de Redes de Telecomunicações, como 5G, por exemplo. Os investimentos ultrapassam R$ 100 milhões, a maior parte custeada pela multinacional chinesa.

O laboratório ocupa área de 90m2 no camps da UMP, e tem equipamentos de rede de transmissão de dados e transporte óptico; wireless 2G, 3G, 4G (LTE), 5G; ADSL; IPTV; simulação de rede (treinamento e projetos); energia – suprimento de Data Centers; micro-ondas; equipamentos que permitem também aplicações na área de Redes Elétricas Inteligentes (Smart Grid), e Sistemas de Potência em geral. Há também equipamentos disponíveis para criação de uma Operadora de Telecomunicações completa e sala de treinamento para cursos.

“A parceria com uma empresa desse porte na área tecnológica, abre as portas para, além da montagem do laboratório, se obter outros benefícios tais como: parcerias e intercâmbio com universidades chinesas, transferência de tecnologias para consultoria, projetos e novos cursos e desenvolvimento de pesquisas em novas áreas”, ressalta Paulo Alves Garcia, coordenador do curso de Engenharia Elétrica da UPM. A ZTE tem parcerias com projetos de pesquisas tecnológicas em 50 instituições acadêmicas em toda a China, onde é um membro ativo da China Communications Standardisation Association (CCSA). (Com assessoria de imprensa)

Anterior "Haverá caminhos para cobrar a presença de conteúdo nacional no VOD", diz Rangel, da Ancine
Próximos AT&T não vende nem amplia atuação da Sky/Direct TV, por enquanto.