Lula: TV digital vai recuperar tempo perdido na área de semicondutores


Em seu discurso, hoje, 29, durante a solenidade de assinatura do decreto com as diretrizes para a TV digital brasileira, realizada no Palácio do Planalto, o presidente Lula ressaltou que a política de implantação da nova tecnologia ajudará a indústria de semicondutores brasileira a recuperar o tempo perdido no início dos anos 90 e o país …

Em seu discurso, hoje, 29, durante a solenidade de assinatura do decreto com as diretrizes para a TV digital brasileira, realizada no Palácio do Planalto, o presidente Lula ressaltou que a política de implantação da nova tecnologia ajudará a indústria de semicondutores brasileira a recuperar o tempo perdido no início dos anos 90 e o país a avançar na área de software em geral.

“Além dos benefícios que nos trará no futuro imediato, a política de implantação da TV Digital vai nos permitir também recuperar uma grave lacuna do passado. No início da década de 90, mais de duas dezenas de fábricas de componentes semicondutores fecharam as suas portas no Brasil e foram para a Ásia. Aqui, ficamos com a montagem de kits importados já prontos, apenas agregando o custo da mão-de-obra barata. Nos colocamos fora do mercado global." Segundo Lula, Brasil e Japão irão trabalhar juntos na elaboração de um plano estratégico para a implantação aqui de uma indústria de semicondutores e para a reestruturação da indústria nacional de microeletrônica nacional.

Democracia tecnológica

O presidente ressaltou que o governo promoveu uma discussão democrática antes de tomar as decisões sobre a implantação da TV digital. “Disse à Dilma que nós temos que encontrar aqueles que não estão no meio de nós, que querem discutir, porque isso não é uma coisa de um governo, isso não é uma coisa de um presidente, isso é uma política de Estado, e se é de Estado, nós temos que procurar quem na sociedade brasileira queira discutir, porque nós somos passageiros, mas o sistema ficará para todo o sempre, até que apareça um outro melhor”, afirmou. Para o presidente, uma expressão que poderia definir todo o processo de discussão seria “democracia tecnológica”.

Lula afirmou que transformou a TV Digital em prioridade porque ela está plenamente afinada com a meta do governo de conciliar avanço social com avanço tecnológico. E ressaltou que, quando assumiu a Presidência, encontrou a discussão sobre a TV Digital em um beco sem saída.

“Apenas se discutia, de maneira vaga e superficial, qual dos três padrões existentes no mundo o Brasil deveria adotar. Não se cogitava a hipótese de aproveitar essa oportunidade única para se fortalecer uma política industrial e tecnológica voltada para a ampliação de conhecimento, a produção de bens inovadores e a transformação de novos investimentos”. 

O presidente ressaltou que a TV digital vai permitir um amplo acesso a serviços e bens culturais, especialmente para a população mais pobre, que muitas vezes tem na televisão seu único meio de informação e diversão gratuita. “Fará, entre outras coisas, com que o televisor deixe de ser um mero receptor de programas para se transformar em uma fonte de acesso a um mundo cheio de possibilidades. Não está longe o dia em que as famílias poderão marcar uma consulta médica pelo SUS usando a TV e não está tão longe o dia em que as pessoas também poderão ter acesso às suas contas de Previdência Social pela Internet, via digital”, afirmou o presidente.
 

Anterior TV digital: deputados da Comissão de C&T ausentes em solenidade
Próximos Hélio Costa afirma que haverá espectro suficente para canais públicos