Lucro líquido da NET cai 34,8% em 2006, mas receita aumenta 21,5%.


Em 2006, a NET Serviços, maior operadora de TV a cabo do país, registrou um lucro líquido de R$ 81,9 milhões, uma redução de 34,8% ante os R$ 125,7 milhões lucrados em 2005. Hoje, 2, a companhia divulgou os resultados financeiros e operacionais de 2006, e explicou que o lucro foi afetado pelo processo de incorporação das subsidiárias …

Em 2006, a NET Serviços, maior operadora de TV a cabo do país, registrou um lucro líquido de R$ 81,9 milhões, uma redução de 34,8% ante os R$ 125,7 milhões lucrados em 2005. Hoje, 2, a companhia divulgou os resultados financeiros e operacionais de 2006, e explicou que o lucro foi afetado pelo processo de incorporação das subsidiárias da NET Serviços.

A empresa disse ter o objetivo de, no médio prazo, maximizar sua geração de caixa através da utilização de créditos fiscais. Por isso, no decorrer de 2007, irá acelerar o processo de consolidação das subsidiárias. A companhia afirmou ter um saldo líquido de benefício fiscal (que inclui prejuízos fiscais e base negativa e ágios decorrentes de aquisição) no montante de R$ 1,433 bilhão para ser utilizado nos próximos exercícios fiscais.

“Considerando-se um cenário de aumento na amortização de ágios de aquisição, o lucro líquido da companhia será temporariamente menor, o que não significará pior desempenho, mas fortalecimento da geração de caixa da companhia”.

Receita líquida

Já receita líquida da empresa em 2006 foi de R$ 1,936 bilhão, um aumento de 22% em comparação com 2005, quando a receita foi de R$ 1,593 bilhão. De acordo com NET, o aumento nas bases de TV por assinatura e de banda larga foram os principais fatores desse crescimento, uma vez que os ajustes de mensalidade são atrelados ao IGP-M, que apresentou um variação de apenas 3,8% em 2006.

O EBITDA consolidado (ganhos antes de impostos, taxas, depreciação e amortizações) totalizou R$ 515,4 milhões ao final de 2006, um crescimento de 15% em comparação com os R$ 450,1 milhões de 2005. A margem EBITDA apresentou uma queda de 28% para 27% em 2006, “uma vez que o crescimento acelerado da companhia teve início somente na segunda metade de 2005”.

Os custos operacionais e as despesas com vendas gerais e administrativas totalizaram R$ 1,420 bilhão ante R$ 1,143 bilhão em 2005, apresentando uma alta de 24,3%. “Esse resultado é consequência da companhia ter a maior parte dos custos variável, o que fez com que o crescimento das vendas e da base de assinantes acarretasse um aumento dos custos de programação, comissões sobre vendas e campanhas de marketing (entre outros)".

A dívida líquida ao final de 2006 era de R$ 402,9 milhões, alta de 4,6% em comparação a R$ 385,2 milhões em 2005. Mas de acordo com a NET, devido ao crescimento do EBITDA em 2006 e à forte posição de caixa como resultado da emissão do bônus perpétuo, a relação entre dívida líquida sobre EBIDTA acumulado nos últimos 12 meses caiu de 0,86x em 2005 para 0,78x em 2006.

Da Redação

Anterior Adiamento do modelo de custos pode recrudecer a discussão da VU-M
Próximos Games: cresce a oferta, mas preço do download não cai.