Lucro líquido da Algar Telecom cresce 57,9%


Empresa cresceu em telefonia fixa, móvel, e banda larga. Mas perdeu clientes na TV paga. Percepção é de que o cliente, com menos dinheiro em função da crise, resolveu cancelar a TV ou trocá-la por serviços de streming pela internet.

Logo_Algar propAlgar Telecom encerrou o segundo trimestre deste ano com lucro líquido de R$ 65,2 milhões. O número é 57,9% superior ao obtido no mesmo período de 2016. A empresa registrou Ebitda consolidado de R$ 206,8 milhões, incremento de 16,8%, com destaque para o Ebitda do negócio Telecom que encerrou o trimestre em R$ 174,6 milhões, elevação de 13%.

A companhia encerrou junho com 3,6 milhões de unidades geradoras de receita – UGRs em seu negócio Telecom, uma adição líquida de 230 mil em relação ao mesmo período do ano anterior. A evolução de 6,8% foi impulsionada pelos serviços de banda larga e telefonia fixa, que cresceram 11,7% e 10,6%, respectivamente. A empresa apresentou um crescimento de 34.1% nos acessos de ultra banda larga (acima de 10MB).

Desempenho

A receita receita líquida consolidada totalizou R$ 670,6 milhões no trimestre, uma evolução de 7,4%, quando comparada com o segundo trimestre do ano anterior. O números foram puxados pelo aumento de contratos no setor corporativo e de consumo de dados móveis.

Os investimentos, porém, caíram. Foram R$ 97,6 milhões no trimestre, ante R$ 141,4 milhões no mesmo período do ano anterior. O maior volume, no ano passado, teria sido atípico segundo a empresa em função da construção do cabo submarino Monet. Na época, fez um aporte de R$ 50 milhões. O capex foi direcionado à expansão das redes (30%), à continuidade do negócio (49%), para o crescimento dos serviços do negócio Gestão de Clientes e Gestão de Serviços de TIC (3%) e manutenção (18%).

Telecom

Na telefonia fixa, a empresa cresceu 10,6%, para 1,7 milhão de clientes – em função do mercado corporativo. Na telefonia móvel, a base cresceu 1,4%, para 1,3 milhão de usuários. O número de clientes pós-pagos cresceu 4,1% no período e alcançou 359 mil, os pré-pagos por sua vez cresceram 0,4% e atingiram 945 mil. A receita média por usuário (ARPU) foi de R$ 20,39.

A banda larga fixa cresceu 11,7% no comparativo anual, atingindo 498 mil acessos. Ao final do trimestre, cerca de 220 mil clientes já tinham planos de ultra banda larga (velocidade acima de 10Mbps), o que representava 44,2% da base total de banda larga fixa e apresentaram velocidade média de 15,51Mbps.

Na TV por assinatura houve queda de 3,9% no total de usuários. Segundo a empresa, o produto perdeu atratividade em razão do momento macroeconômico e da substituição do serviço por produtos substitutos (OTT).

Anterior Oi abre 39 centros para registrar credor interessado em aderir à RJ
Próximos Brasil prepara-se para recorrer à decisão da OMC contra lei de Informática

3 Comments

  1. Maurício
    11 de agosto de 2017

    Ridículo essa empresa.
    Pelo menos em Patos de Minas o serviço é de péssima qualidade.

    • Lorena
      14 de agosto de 2017

      Mauricio, quer trocar? Tenho parentes aí e a noticia que recebi é que ja estão lançando fibra optica nas residências. Em BH, terceira maior cidade em população do Pais e temos que nos contentar com ADSL sem previsão de chegada da ultra banda larga.

  2. Simone
    14 de agosto de 2017

    Mauricio, quer trocar? Patos de Minas um município de 100mil habitantes ja possui Fibra Optica nas residências. Sou da terceira maior cidade do país e até hoje temos que nos contentar com adsl. Se quiser, fazemos a troca.