Lucro da Telefônica cresce 28% no terceiro trimestre


A Telefônica Brasil volta a apresentar, no terceiro trimestre do ano, resultados bem positivos. O seu lucro líquido é de R$ 1,2 bilhão, 28% superior a igual período do ano passado (R$ 952,7 milhões). Mesmo em relação a este ano, o desempenho melhorou. Este lucro, em relação ao segundo trimestre, foi 40% maior (R$ 873 milhões).

TeleSintese-Grafico-positivo-crescente-crescendo-subindo-analise-resultado-comparacao-Fotolia_139796746

A Telefônica Brasil volta a apresentar, no terceiro trimestre do ano, resultados bem positivos. O seu lucro líquido é de R$ 1,2 bilhão, 28% superior a igual período do ano passado (R$ 952,7 milhões). Mesmo em relação a este ano, o desempenho melhorou. Este lucro, em relação ao segundo trimestre, foi 40% maior (R$ 873 milhões). A receita operacional, de R$ 10,88 bilhões também subiu, 1,8%, e o Ebitda (fluxo de caixa) cresceu 7,8%, para R$ 3,6 bilhões, contra R$ 3,4 bilhões do 3Tri de 2016.

A margem Ebitda (que demonstra o fôlego financeiro da empresa) aumentou 1,8 p.p, para 33,8%. Os investimentos somaram R$ 2,1 bilhões no período, aumento de 12,7% em relação ao 3Tri 16. Até agora, a Telefônica investiu R$ 5,3 bilhões, 2,5% a mais do que em 2016.

A empresa apresenta como destaques do período a queda nos custos recorrentes, pelo sétimo trimestre consecutivo. Os custos operacionais caíram 1% em relação a 16, para R$ 7,2 bilhões. O avanço das receitas não-voz também merece destaque, pois já representam 68% do total das receitas registradas no período.

4G

A Telefônica expandiu a 4G para 1,4 mil novas cidades e 12 novas cidades receberam a rede de fibra óptica até a casa (FTTH). A receita líquida do serviço móvel atingiu R$ 6, 35 bilhões. A operadora tem 42,3% do market share do pós-pago e 46% das adições líquidas do período.  O ARPU (conta média) do celular também cresceu, para R$ 28, 4, dos quais 73% são provenientes da comunicação de dados.

Nesse período, a Vivo lançou novo portfólio de serviços para o pós-pago, para ampliar  a estratégia de “mais por mais”, com a oferta de franquia adicional de dados para apps de streaming de vídeo e áudio; oferta de apps de mobilidade que não consomem franquia de dados; pacote de roaming no Vivo Travel; e gerenciamento e compartilhamento dos dados, fortalecendo a ideia do clube.

Rede fixa

A empresa conta com 7,4 milhões de assinantes em banda larga fixa, crescimento de 2% em relação a 16. Mas o número de clientes de TV paga continua a cair, para 1,6 milhão, queda de 8%.

A rentabilidade dos dois serviços aumentou, com o ARPU da banda larga em R$ 52,2 (+ 16%) e da TV paga em R$ 99,2 (+ 7,2%).

Anterior Claro registra queda de receita no terceiro trimestre
Próximos Vivo dobrará número de cidades onde usa a faixa de 700 MHZ, em novembro

1 Comment

  1. Erick
    25 de outubro de 2017

    A Vivo so cresce, mesmo sendo careira… como explicar isso? So pode ser por causa da qualidade dela mesmo.