Lucro da Telefônica recua 16,5% em 2013


A Telefônica Brasil divulgou nesta quarta-feira (26) o balanço financeiro relativo ao quarto trimestre de 2013 e consolidado de janeiro a dezembro. No ano fiscal, a receita operacional líquida da companhia atingiu o valor de R$ 34,7 bilhões, 2,4% superior a 2012. No 4º trimestre, o crescimento foi de 1,7% relativamente ao mesmo período de 2012, totalizando R$ 9,1 bilhões. O lucro líquido de R$ 3,715,9 bilhões no acumulado do ano teve queda de 16,5% em relação a 2012.

A operadora informou que a base de comparação alta em 2012, devido a eventos não recorrentes que somaram R$ 699 milhões, teve efeitos positivos no EBITDA, principalmente pela venda de torres e reversão de provisão (DER). Por outro lado, o resultado de 2013 foi impactado pela ativação de créditos fiscais no 2T13 e declaração de JSCP. O lucro líquido do último trimestre de 2013 foi de R$ 1,2 bilhão, 16,5% menor do que o registrado no mesmo período do ano anterior.

O EBITDA recorrente atingiu R$ 2,8 bilhões no quarto trimestre, com margem de 31,2% no período. No acumulado do ano, a margem EBITDA recorrente foi de 30,4%.

Operacional
Em dezembro, a Telefônica Vivo contabilizava 92,6 milhões de acessos, dos quais 77,2 milhões no negócio móvel, aumento de 1,5% frente ao quarto trimestre de 2012. A companhia fechou o ano com participação de mercado de 28,5% com a Vivo. A empresa destacou seu avanço nos segmentos de maior receita, com aceleração do crescimento de acessos pós-pagos, que já representam 30,7% do total. Ao final de 2013, havia elevado em 26% sua base de pós-pagos sobre o número do quarto trimestre do ano anterior.

Ainda no segmento pós-pago, a Telefônica Brasil conquistou 60% das adições líquidas do trimestre, fechando o ano com market share de 39,8%. No mercado de placas de dados, a Vivo segue com a lideraça, com mais da metade desse mercado (50,8%), tendo avançado 3,5% no ano de 2013 sobre 2012. A receita móvel foi 6,1% maior no acumulado do ano, quando comparada a 2012.

A base de pré-pagos, por conta da adoção de critérios mais restritivos de desconexão, registrou decréscimo anual de 6,6% do parque pré-pago em 2013. Apesar de menos acessos, a companhia informou que o volume financeiro de recargas cresceu anualmente 5,8%.

No mercado de M2M (Máquina a Máquina), a base de acessos atingiu a marca de 2,4 milhões de clientes em dezembro, um aumento de 14,1% quando comparado ao trimestre anterior.

Negócio fixo 
A Telefônica Brasil registrou um total de 15,3 milhões de acessos fixos ao final de 2013, número 2,2% superior a 2012. O incremento nos acessos de voz fixa foi de 1,0%, totalizando 10,8 milhões em dezembro e revertendo tendência anual de queda. No segmento corporativo, o aumento de acessos foi de 3,7% no ano. Já no residencial, foi verificado crescimento de vendas de soluções fixed wireless com expansão para novas cidades fora do Estado de São Paulo. Ao final do 4º trimestre, a base desse produto atingiu 484 mil acessos, um crescimento de 52% no comparativo trimestral.

Os acessos em banda larga fixa totalizaram 3,9 milhões clientes em dezembro, um crescimento de 5,1% em relação ao ano anterior. Ao final de 2013, 1,9 milhão de residências já estavam aptas à conexão por fibra óptica, sendo que a base de acessos pela tecnologia atingiu 204 mil, evolução de 19,4% comparada à base do 3º trimestre.

Os acessos de TV por assinatura tiveram crescimento de 8,9% na comparação trimestral, chegando a 641 mil assinantes no fechamento do ano. Esse resultado reflete a aceleração em DTH e IPTV. (Da redação)

Anterior MWC: TIM fecha acordo com Alcatel-Lucent e vai instalar milhares de femtocells nas empresas brasileiras.
Próximos Ricardo Tripoli assume presidência da CCT na Câmara