Lucro da Algar Telecom cresce 10,2% no primeiro trimestre


A Algar Telecom divulgou nesta quarta-feira (14) os resultados financeiros do primeiro trimestre do ano. A receita bruta de consolidada da Algar Telecom somou R$ 558,5 milhões no período, praticamente estável quando comparada ao primeiro triemstre, quando somou R$ 559,7 milhões. Segundo a companhia, que registrou relevante aumento de Unidades Geradoras de Receitas no período, a estabilidade se deve a maiores receitas de dados, engenharia de telecomunicações e TV por assinatura, compensada por menores receitas de voz fixa, interconexão e tecnologia de processos de negócios.

A receita com TV por assinatura, que cresceu 22,4% ano a ano, alcançou R$ 23,3 milhões, mas a receita com serviços de voz fixa caiu 19,6% para R$ 95 milhões. Por fim, no negócio fixo – que inclui também uso de rede, dados e outros serviços – a companhia registrou aumento de 1,2% na receita, para R$ 353 milhões.

Já no negócio móvel, a expansão de 37,9% na receita com banda larga na comparação ano a ano (total de R$ 51,3 milhões); de 15,2% na receita de serviços de valor agregado (total de R$ 2,1 milhões) e de 6,8% na voz móvel (total de R$ 51,3 milhões), foram anuladas pela queda de 62,8% na taxa de interconexão, que somou R$ 5,6 milhões no primeiro trimestre de 2013, ante R$ 15,1 milhões no mesmo período de 2012.

A queda das receitas e dos custos de interconexão, no negócio móvel, foi decorrente do impacto regulatório da redução da VUM a partir de fevereiro de 2012 e da aprovação do Plano Geral de Metas de Competição (PGMC) pela Anatel, em novembro de 2012.

“As regras do PGMC, ao alterarem a metodologia de cobrança do tráfego móvel-móvel local propiciaram, para a Algar Telecom, a oferta de planos mais competitivos na telefonia móvel, além da queda de receitas e custos de interconexão, com impacto positivo na margem Ebitda”, salienta a empresa em nota.

O Ebitda (lucro antes de pagamento de juros, impostos, depreciações e amortização) consolidado da Algar Telecom atingiu  R$  94,5 milhões, acréscimo de 10,4% se comparado aos R$ 85,6 milhões registrados no primeiro trimestre de 2012. A margem Ebitda alcançou 22%, ante 20% um ano antes.

O lucro líquido consolidado da companhia foi de R$ 16,6 milhões, ante R$ 15 milhões de janeiro a março de 2013, aumento de 10,2% em relação aos três primeiros meses de 2012.

O aporte de capital da Algar Telecom totalizou R$ 70,6 milhões no período, ante R$ 54,5 milhões em 2012. Do total de investimentos, 69% foi direcionado para a expansão de redes, 3% para o crescimento dos serviços de tecnologia de processos de negócios e 28% para manutenção.

Unidades geradoras de receita
Ao final de março, a companhia registrou 2,4 milhões de unidades geradoras de receita (UGRs), crescimento de 16,8% em relação ao mesmo período do ano passado. O serviço de banda larga atingiu 420 mil acessos, um incremento de 16,3% em relação ao 1T12, considerando a base fixa e a base móvel.

A banda larga fixa (ADSL) evoluiu 8,5% em virtude principalmente dos pacotes com planos de internet Ultra Banda Larga, de até 100 Mbps. Na tecnologia 3G, importante complemento de oferta, o número de clientes ao final do trimestre superou em 55,3% o do 1T12, passando de 60 mil para 93 mil.

A base de clientes de TV por Assinatura totalizou 120 mil ao final trimestre, um aumento de 23,3% se comparado ao 1T12, quando registrou 98 mil.

A Companhia encerrou o trimestre com 1,102 milhão de linhas fixas, um crescimento de 14,0% em relação ao mesmo período do ano anterior impulsionado tanto pela área de concessão quanto pela autorização. Na concessão, os pacotes que combinam telefonia fixa, banda larga e TV permitiram a evolução de 714 mil para 774 mil linhas fixas. Na área de autorização, o incremento foi de 30,1%, passando de 253 mil para 329 mil linhas, reflexo da conquista de clientes corporativos nas cidades em torno do backbone.

No 1T13, o número de clientes de telefonia móvel  somou 764 mil, crescimento de 20,2% em relação ao registrado ao final de março de 2012, impulsionado pelo segmento pré-pago. Enquanto a base de pré-pagos cresceu 29,3%, passando para 553 mil no 1T13, a base pós pagos avançou 1,3% para 210 mil no período.

Endividamento
A dívida bruta consolidada da Algar Telecom, ao final do primeiro trimestre, somava R$ 988,1 milhões, aumento de 6,8% em relação a dezembro de 2012. O aumento, de acordo com a empresa, se deve à primeira liberação, no valor de R$ 81 milhões, de novo contrato de dívida  firmado junto ao BNDES, parcialmente compensado por amortizações e vencimentos no período. O perfil da dívida é  de longo prazo, com 12% vencendo nos próximos doze meses.

A dívida líquida, por sua vez, encerrou o trimestre em R$ 767,2 milhões, ante R$ 738,7 milhões no final de 2012, um aumento de 3,9%. A relação dívida líquida/Ebitda foi de 1,7 no período de 12 meses encerrados no 1T13.

Anterior Prefeitura de SP prorroga consulta pública sobre WiFi a pedido da Vivo
Próximos Google lança serviço de streaming de música a US$ 9,99 por mês