Lucro da Algar telecom cai 21,6% no 1º tri


A Algar Telecom divulgou hoje, 14, os resultados no primeiro trimestre do ano. A companhia mineira apurou queda de 0,7% em relação ao mesmo período de 2018 na receita bruta, que somou R$ 906,8 milhões. Houve alta no segmento de telecomunicações, puxada pelo braço de serviços ao setor corporativo. Este cresceu 5,9%, faturando R$ 399,1 milhões. Já as vendas residenciais caíram 6,4%, para R$ 278,5 milhões. Também a receita com serviços de BPO e Gestão de TI caíram 6,4%, somando R$ 231 milhões.

A receita líquida, por sua vez, apresentou alta de 0,4%, para R$ 709,1 milhões. Em telecom, elevação de 2,6%, e em BPO, queda de 5,9%.

O EBITDA, lucro antes de impostos, juros, depreciações e amortizações, aumentou 1,4% e chegou a R$ 213,5 milhões no período. O lucro líquido no entanto caiu 15,7%, e foi de R$ 47,3 milhões. Contabilizando-se as mudanças no padrão de contabilidade, já que a empresa adotou o IRFS-6, o lucro caiu a R$ 44 milhões, 21,6% a menos que no primeiro trimestre de 2018.

B2B e dados

Os investimentos da Algar no mercado corporativo estão dando resultado. O segmento, abordado nas novas cidades onde a companhia chega com sua rede, cresceu 10,6% em número de clientes. Hoje são 109,4 mil usuários no B2B. A receita gerada pelo segmento já representa 59% do total da operadora. Um ano antes, representava 56%.

Nos serviços residenciais, prestados nas áreas de concessão da companhia, houve retração em telefonia fixa (-4,1%), telefonia móvel (-2,9%) e TV paga (-19,7%). Tanto no B2B quanto no B2C houve crescimento no consumo de dados. No primeiro, o aumento foi de 9,4%; no segundo, de  5,1%. Isso contrabalançou, mas não compensou completamente a perda de receita tradicional.

A companhia registrou ainda Capex (investimentos) de R$ 202 milhões no período, valor 72,9% maior que um ano antes. O aumento se deveu a aportes maiores em fibra óptica (FTTH).

Anterior Nasdaq tem alta um dia após volatilidade causada por guerra comercial entre EUA e China
Próximos Para a Motorola, consumidor vai gastar mais com smartphones no 2º semestre

Sem comentários

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *