Lucro consolidado da Telesp cresceu 12,1% e chegou a R$ 2 bilhões


A Telesp S.A, controlada pelo grupo Telefônica, registrou um lucro líquido de R$ 2,092 bilhões de janeiro a setembro deste ano, um crescimento de 12,1% em comparação com o mesmo período de 2005, quando a empresa lucrou R$ 1,867 bilhão. Comparando o 3T06 com o 3T05, o lucro da empresa cresceu 14,4%, passando de R$ …

A Telesp S.A, controlada pelo grupo Telefônica, registrou um lucro líquido de R$ 2,092 bilhões de janeiro a setembro deste ano, um crescimento de 12,1% em comparação com o mesmo período de 2005, quando a empresa lucrou R$ 1,867 bilhão. Comparando o 3T06 com o 3T05, o lucro da empresa cresceu 14,4%, passando de R$ 709,7 milhões para R$ 811,8 milhões, conforme os números do balanço financeiro e operacional do terceiro trimestre divulgado hoje, 10, pela companhia. As informações incluem os saldos e transações das controladas Atrium Telecom S.A e da Telefônica Empresas.

A companhia registrou uma receita operacional líquida acumulada até setembro de 2006 de R$ 10,877 bilhões, um crescimento de 2,2% em relação aos R$ 10,639 bilhões obtidos no mesmo período de 2005. Segundo a empresa, esse aumento é explicado, principalmente, pelo reajuste tarifário de 7,27% autorizado em2005, além do crescimento do serviço Speedy (banda larga ADSL) e do aumento do número de linhas econômicas.

Até o final de setembro, a Telesp havia comercializado 1,1 milhão de planos de minutos, sendo 497,8 mil somente no último trimestre. Ao final do terceiro trimestre, a empresa contava com 3,246 milhões de clientes com planos alternativos de telefonia fixa, um crescimento de 52% em comparação com o terceiro trimestre de 2005.

Excluindo-se os efeitos da subsidiária Telefônica Empresas S.A, o crescimento da receita líquida foi de 1,8%. Quando comparado o 3T06 com o 3T05 houve uma redução de 1,9%, passando de R$ 3,721 bilhões para R$ 3,652 bilhões.

A receita operacional bruta até setembro de 2006 atingiu R$ 15,404 bilhões, apresentando um crescimento de 2,3% (R$ 343,6 milhões) em relação ao mesmo período de 2005. Excluindo o efeito da subsidiária Telefônica Empresas S.A, a variação foi de 1,8%. Comparados o 3T06 com o 3T05, houve uma redução de 1,7% e quando excluído o efeito Telefônica Empresas esta redução foi 3,1%.
Ebidta

O Ebidta (resultado operacional antes da depreciação/amortização e despesas financeiras) foi de R$ 5,269 bilhões, um crescimento de 8,2% em comparação com os R$ 4,870 bilhões obtidos entre janeiro e setembro de 2005. A margem Ebidta acumulada até setembro de 2006 foi de 48,4% apresentando um crescimento de 2,7 pontos percentuais ante ao mesmo período de 2005. Em comparação com terceiro trimestre de 2005, houve um aumento de 6,7 pontos percentuais chegando-se a uma margem de 53,3%.

Contribuiu para o aumento da margem, entre outros fatores, o crescimento do serviço Speedy e de telefonia pública, contrabalançados parcialmente pela queda nas receitas de longa distância nacional e de uso de rede, além do aumento dos gastos com pessoal e com tributos.

O Capex consolidado no acumulado até setembro foi R$ 1 bilhão. O endividamenteo da empresa em 30 de setembro de 2006 era de R$ 2,465 bilhões, 23% menor do que a dívida registrada em 30 de setembro de 2005. Em 30 de junho de 2006, o endividamento da empresa era de R$ 2,464 bilhões.

Receitas

A receita com o serviço local atingiu R$ 2,407 bilhões no acumulado até setembro 2006, apresentando um crescimento de 1,4% (R$ 34,3 milhões) em comparação com igual período de 2005. Segundo a empresa, isso ocorreu em função do reajuste tarifário de 7,27% e do sucesso dos planos alternativos que possuem precificação diferenciada para uso local, contrabalançado parcialmente pela redução da internet discada, em função da migração para banda larga, pelo crescimento da planta móvel que gera tráfego local móvel-móvel e pelo reajuste tarifário negativo ocorrido em julho deste ano. Comparando 3T06 com 3T05 houve uma redução de 5,4% na receita do serviço local.

A receita de longa distância nacional teve queda de 5,6% no acumulado do ano, atingindo R$ 2,273 bilhões, em comparação com janeiro-setembro de 2005 e redução de 11,6% se comparado o 3T06 com o 3T05. Já a receita do serviço de longa distância internacional teve um aumento de 3,5% no acumulado até setembro de 2006, atingindo R$ 118,1 milhões.

Já receita de transmissão de dados teve um bom desempenho, Cresceu 42,5% no período, atingindo R$ 1,351 bilhão no acumulado até setembro de 2006 em função especialmente do crescimento do Speedy, além da migração dos serviços prestados pela subsidiária Telefônica Empresas. Comparando o 3T06 com o 3T05 houve um crescimento de R$ 222,7 milhões ou 64,5% na receita de transmissão de dados. Quando excluídos os efeitos da Telefônica Empresas houve uma variação de R$ 157,6 milhões ou 45,7%.

Banda larga

O Speedy atingiu, em setembro 1,479 milhão de clientes, um crescimento de 7,4% em relação ao segundo trimestre de 2006. “Trata-se de um produto prioritário para a companhia para a fidelização de clientes. A Telefônica está investindo em novos produtos sobre a plataforma ADSL com vistas a ampliar sua oferta de serviços e tornar-se ainda mais competitiva”, afirma a empresa no relatório.

Da Redação

Anterior SMS podem atingir US$ 7,8 bilhões em 2011
Próximos Claro e Embratel empacotam serviços