LTE-U pode ameaçar o Wi-Fi?


A tecnologia de quinta geração do celular, conhecida como LTE (Long Term Evolution) Advanced já tem uma versão para as frequências não licenciadas – aquelas que não precisam de licença das agências reguladoras e podem ser exploradas por qualquer serviço de telecomunicações.

Com o uso intensivo da banda larga, as frequências não licenciadas – geralmente localizadas no espectro de 2,4 e de 5 GHz –  acabaram suportando muito bem o padrão Wi-Fi (wireless fidelity) . E o Wi-Fi passou a ser também uma boa alternativa para o escoamento do tráfego de dados das redes das operadoras móveis.

Recentemente, alguns fabricantes, entre eles a norte-americana Qualcomm, desenvolveram chips batizados de LTE – U (ou, tecnologia de LTE para unlicensed spectrum). Ou seja, capazes de funcionar justamente nessas frequências não-licenciadas.

E já foi criada até um fórum que reúne operadores e fabricantes para fazer avançar a implementação dessa tecnologia.

Pelo sim, pelo não, a Aliança Wi-Fi resolveu reagir e se aproximar desses agentes. Existe a preocupação de que a tecnologia LTE-U comece a ocupar todo o espectro não licenciado e acabe prejudicando os milhões de usuários que se conectam diariamente via Wi-Fi.

Conforme pesquisas realizadas por este forum, 75% dos usuários de Wi-Fi preocupam-se com os impactos que poderão sofrer com o advento da nova tecnologia. Os debates prometem esquentar nos próximos anos. ( com agências internacionais). 

Anterior Abreu minimiza impacto negativo de possível aumento do ICMS por estados
Próximos Novos planos da TIM podem ter margem negativa até fevereiro