LTE dobra penetração na América Latina, em um ano


A tecnologia de conexão móvel LTE, também chamada de 4G pelas operadoras, foi usada em 20% dos acessos móveis da América Latina no primeiro trimestre deste ano. Isso representa um crescimento de 100% em um ano. O dado faz parte de levantamento da empresa de pesquisa de mercado Ovum, a pedido da 5G Americas, associação que defende a adoção do padrão na região.

Os dados mostram que a expansão do LTE se deu em detrimento, principalmente, do 2G (GSM). Esta tecnologia passou de 47% do mercado no primeiro trimestre de 2016, para 36% ao final de março de 2017. O 3G também perdeu um pouco de participação, passando de 52% para 51%.

“A LTE deve continuar crescendo com a ativação de novas redes LTE-Advanced; algumas já foram lançadas e estão em operação comercial em mercados como o Brasil, Chile, Peru e Porto Rico, e estamos projetando que a tecnologia estará disponível em mais de 12 mercados até o final deste ano”, lembra José Otero, diretor da 5G Américas para a América Latina e o Caribe.

A quantidade de acessos também se multiplicou em um ano. Em março de 2016 havia 68,6 milhões de conexões LTE na América Latina. Ao fim do primeiro trimestre deste ano, já eram 139,8 milhões de acessos. A previsão é que ao final deste ano, existam 171 milhões de acessos LTE ativos na região, do total de 699 milhões de usuários móveis – projeção que inclui números para M2M. Até 2021, serão 449 milhões, quando representará 58% do mercado.

No mundo inteiro, a LTE contabilizou 2,16 bilhões de conexões , agregando 863 milhões de novas conexões LTE em apenas um ano. A Ovum calcula que existam 7,7 bilhões de acessos em banda larga móvel em uso no mundo, somando-se a internet das coisas (diferentemente dos cálculos da GSMA, que levam em conta apenas o use de celulares).

A América do Norte é a região com uso mais acentuado do 4G. Ali, 67% dos acessos são LTE. A América Latina é a quinta região do mundo em uso da tecnologia, ficando atrás de Oceania, Europa Ocidental e Oriente Médio (confira no gráfico, em inglês).

3_Global_LTE_MS_Regions

Anterior Deputado quer código de conduta para SVA
Próximos Índia puxa o crescimento da base mundial de telefonia móvel