Lojas da Brasil Telecom começam a vender telefone convergente no dia 3


As lojas da Brasil Telecom no Distrito Federal, Paraná e Rio Grande do Sul começam a vender o Telefone Único, aparelho convergente que funciona ao mesmo tempo como telefone móvel e fixo, nesta quinta-feira, dia 3. Até o dia 24 de agosto, o novo produto estará disponível nos demais Estados de atuação da empresa (SC, …

As lojas da Brasil Telecom no Distrito Federal, Paraná e Rio Grande do Sul começam a vender o Telefone Único, aparelho convergente que funciona ao mesmo tempo como telefone móvel e fixo, nesta quinta-feira, dia 3. Até o dia 24 de agosto, o novo produto estará disponível nos demais Estados de atuação da empresa (SC, GO,MT, MS, AC, RO e TO).

O Telefone Único é um aparelho celular modelo V3, fabricado pela Motorola para anteder à demanda da Brasil Telecom, e que utiliza as tecnologias CTP (Cordless Telephony Profile) e GSM. Para que o telefone funcione como aparelho fixo e móvel, o cliente precisa ter um telefone fixo e um ponto de acesso (acess point/também fabricado pela Motorola), que é conectado à linha fixa e se conecta ao aparelho móvel via tecnologia Bluethooth. O alvo do novo serviço, segundo Ricardo Couto, diretor de marketing da Brasil Telecom, são profissionais liberais, pequenas empresas ou residências que tenham um volume relevante de chamadas móvel-fixo. Couto lembra que, conforme estatísticas, 30% do total das ligações móvel-fixo são realizadas de dentro de casa ou da empresa do cliente.
Home zone
Para que o Telefone Único funcione como um aparelho fixo, o cliente precisa estar em raio de proximidade de até 100 metros do ponto de acesso, a chamada home zone. Nessa situação, se ele ligar do Único para um telefone móvel a chamada irá trafegar pela rede móvel da BrT GSM. Se o cliente ligar do Único para um telefone fixo, a chamada entrará na rede fixa da Brasil Telecom e cursará como uma ligação fixo-fixo, que tem tarifa menor do que a chamada móvel-fixo. De acordo com Couto, uma chamada móvel-fixo custa, em média, R$ 0,68 minuto, e a ligação fixo-fixo, custa, em média, R$ 0,11. Fora da home zone, o Único funciona como um aparelho móvel convencional.
O cliente do Único terá dois números, um fixo e um móvel, assim como receberá duas contas. “O objetivo do serviço é dar dupla funcionalidade ao número móvel. Uma pequena empresa que necessite de mobilidade e demanda por conexões móvel-fixo será bem atendida pelo Único”, reforçou Couto. Segundo ele, com o novo serviço a BrT pretende fidelizar o cliente de telefonia fixa, aumentar o market share da BrT Celular e melhorar a eficiência da rede (fixa e celular) da companhia.

Preços

O diretor de marketing não quis falar o quanto foi investido no lançamento do novo serviço, mas informou que a BrT encomendou, inicialmente, 10 mil aparelhos à Motorola, com a possibilidade de comprar mais 10 mil. Antonio Quintas, diretor de vendas de produtos móveis da Motorola, disse que a companhia investirá cerca de US$ 2 milhões no projeto do terminal convergente, que começou no ano passado e deverá estar finalizado até dezembro.

O novo serviço custará entre R$ 600 e R$ 900. O cliente pagará R$ 600 se adquirir um plano móvel pós-pago e um pacote de minutos fixos dentro de uma franquia compartilhada de 150 pulsos ao valor adicional de R$ 20 (ou seja, a assinatura básica mais R$ 20). Dentro desse plano, se o cliente adquirir serviços adicionais, como secretária virtual integrada e chamada em espera, ele ganha 15% de desconto no valor desses serviços. Se o cliente comprar um plano pós-pago e dispensar o pacote de franquia compartilhado, o Único custará R$ 750 e no plano pré-pago ele sairá por R$ 900.

Anterior Ronaldo Miranda deixa a Intel
Próximos China tem 426 milhões de usuários móveis