Licitações para ativação da rede de banda larga pública sofrem atrasos


O presidente da Telebrás, Rogério Santanna, admitiu nesta terça-feira (17) atraso na conclusão dos termos de referência dos quatros editais para compra de equipamentos para ativação da rede de fibra ótica pública, prevista no Plano Nacional de Banda Larga (PNBL). A previsão inicial era de que a consulta pública sobre os documentos fosse aberta ainda nesta semana, mas isso somente acontecerá no final do mês, o que irá retardar o lançamento definitivo dos editais. Porém a conexão das 100 cidades será iniciada ainda este ano, afirma.

Segundo Santanna, o atraso se deve à complexidade do processo, que precisa estar suficiente maduro para dar resultado. “Nós temos que montar uma rede de banda larga em todo o país e precisamos prever todas as situações possíveis para evitar falhas”, disse. De acordo com o novo cronograma, a consulta pública dos termos de referências terá prazo de 15 dias e o lançamento dos quatro editais está previsto para a segunda quinzena de setembro.

Na próxima semana, durante as reuniões do Fórum Brasil Conectado, espaço criado para o debate e a construção de ações para o PNBL, Santanna espera estar com a definição das 100 cidades que serão conectadas na primeira fase do plano. Pelos critérios já aprovados os municípios devem estar distantes 50 km dos Pops (Pontos de Presença) da rede de fibra ótica a ser gerida pela Telebrás, nas regiões Sudeste e Nordeste, além o Distrito Federal.

Terão preferência as cidades com menor IDH (Índice de Desenvolvimento Humano); que tenham topologia diversa, áreas urbanas densamente habitadas, áreas rurais e zonas remotas. As reuniões do Fórum Brasil Conectado estão previstas para os dias 24, 25 e 26 deste mês.

Anterior SCM: tão conhecido, mas ainda limitado.
Próximos OMC reclama contra imposto de informática da União Europeia