Licença de 3G nacional irá custar entre R$ 635 mi a R$ 953 mi


 As operadoras de telefonia celular que disputarem o leilão de freqüência de terceira geração terão que desembolsar o mínimo R$ 653,531 milhões para arrematar uma das três licenças nacionais de 20 MHz ou R$ 953,302 milhões para levar a única freqüência de 30 MHz colocada à venda. A íntegra do edital já está disponível no …

 As operadoras de telefonia celular que disputarem o leilão de freqüência de terceira geração terão que desembolsar o mínimo R$ 653,531 milhões para arrematar uma das três licenças nacionais de 20 MHz ou R$ 953,302 milhões para levar a única freqüência de 30 MHz colocada à venda. A íntegra do edital já está disponível no portal da Anatel (www.anatel.gov.br) e o leilão ocorrerá em 18 de dezembro.

Ao anunciar, na semana passada, as principais diretrizes da licitação, a Anatel informava que, por ter ampliado o prazo para o atendimento de algumas metas de cobertura, teria que aumentar também o preço a ser pago pelas freqüências. Mas a agência alertou que, na verdade, essas licenças deveriam valer muito mais, valor que será gasto no atendimento às metas de cobertura, que prevêem, em dois anos, após a assinatura dos contratos, todas as cidades brasileiras  deverão ser atendidas pela telefonia celular e em oito anos 60% dos municípios brasileiros terão que contar com a rede banda larga móvel de terceira geração.

A agência estará leiloando quatro faixas de freqüências divididas em onze áreas de exploração do serviço. As empresas, se quiserem ter a cobertura nacional, terão que comprar uma dessas faixas em cada uma das áreas de prestação.

A seguir as áreas e os preços mínimos:

Área I – Estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Sergipe, Rondônia.

Valor bandas J,G,I – R$ 163,669 milhões
Valor banda F – R$ 245,504 milhões

Área II – Região da Brasil Telecom
Valor bandas J,G,I – R$ 227,472 milhões
Valor banda F – R$ 341,208 milhões

Área III – Região Metropolitana de São Paulo
Áreda IV – Estados do Amazonas, Amapá, Pará, Maranhão e Roraima

Valor bandas J,G,I – R$ 111,835 milhões
Valor banda F- R$ 167,753 milhões

Área V- Estado de São Paulo
Área VI – Estados de Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte

Valor bandas J,G,I – R$ 85,980 milhões
Valor  banda F – R$ 128,970 milhões

Área VIII- Região da CTBC em MG
Valor bandas J,G,I – R$ 212,704 mil
Valor banda F – R$ 319,057 mil

Área IX – Região da CTBC em SP
Valor bandas J,G,I – R$ 4,22 milhões
Valor banda F – R$ 6,331 milhões

Área X – Minas Gerais
Valor bandas J,G,I – R$ 28,053 milhões
Valor banda F – R$ 42,080 milhões

XI – Região da Sercomtel
Valor bandas J,G,I – R$ 2,894 milhões
Valor banda F- 4,341 milhões

Anterior STJ decide que assinatura básica é legal
Próximos TI/Telefónica: aval da Anatel dispara especulações na Itália