Liberdade tarifária para DDD e ligação local entrará na agenda regulatória da Anatel


O fim da tarifa de DDD e da ligação local de telefonia, com mudanças também nas áreas locais, entra na agenda regulatória da Anatel deste ano. A revisão do acordo de compartilhamento de postes e das regras para o uso da tecnologia Femtocell também será priorizada.

shutterstock_ HAKKI ARSLAN_abstrata

A Anatel está promovendo algumas mudanças de prioridades  em sua agenda regulatória do biênio 17-18, com a inclusão de novas ações. Além de antecipar a elaboração de novo regulamento de bens reversíveis, decisão aprovada na reunião de ontem, 18 do Conselho diretor da Anatel,  a agência irá incluir outras medidas relacionadas à telefonia fixa, no sentido de flexibilizar as atuais regras da  concessão.

Entre as mudanças, conforme a relatório do conselheiro relator, Otávio Rodrigues, estão presentes a publicação, ainda este semestre, do relatório de avaliação sobre os impactos no mercado de adoção da liberdade tarifária para as ligações de longa distância nacional e ligações local da telefonia fixa, com a revisão da granularidade das áreas locais.

As ligações internacionais, que também eram tarifadas, estão sob o regime de liberdade tarifária há dois anos, quando passou a ser adotado em janeiro de 2016.

Femtocell

Também foram incluídas na agenda regulatória dois novos itens, que não estavam previstos na agenda anterior: a pedido da Abinee, será feita uma reavaliação de regulamentação sobre o uso das Femtocells.

Coforme a entidade que representa os fabricantes de equipamentos, as restrições impostas pelo regulamento da Anatel publicado em 2013 ( Resolução nº 624, de 30 de outubro de 2013) limitam o uso dessa tecnologia no país.

Outro regulamento que será revisado é o de compartilhamento de postes entre as distribuidores de energia elétrica e as operadoras de telecomunicações  (Resolução Conjunta nº 4, de 16 de dezembro de 2014).

Perdem prioridade para este ano a reavaliação do regulamento de EILD e a proposta de um novo regulamento para o uso eficiente do espectro.

A agenda regulatória conta com 58 itens que devem ser finalizados até o final deste ano. Qualquer assunto que não esteja previsto nessa agenda, não pode ser regulamentado ou ter suas normas modificadas, conforme decisão da própria Anatel.

Anterior Tempo de uso de apps cresce 6% em 2017
Próximos Copel reduz riscos dos técnicos graças a app criado em parceria os próprios funcionários