Level 3 amplia data center em Cotia


A Level 3, empresa de infraestrutura de rede, concluiu obras para a ampliação de seu data center em Cotia (SP). A companhia solicitou  ao município a construção de uma subestação de energia, de 20 megawatts de capacidade, que vai alimentar duas novas salas do data center, já prontas. A empresa também está concluindo o refresh tecnológico dos data centers de Curitiba (PR) e e Rio de Janeiro (RJ).

O valor do investimento não foi divulgado. Segundo André Magno, diretor da área de negócios de data center da empresa, os data centers estão hoje com ocupação entre 70% e 80% da capacidade. As três unidades brasileiras fazem parte de uma rede de 14 na América do Sul, 21 no mundo. Todos conectados à rede global, tier 1, da companhia.

A ampliação deve sustentar novas ofertas de produtos corporativos, off-premisse. A Level 3 quer popularizar a nuvem pública no país, que pode ser contratada por empresas para uso de serviços considerados não-críticos. A expansão também ajuda a melhorar a entrega de CDN da empresa.

Segundo o executivo, o ano tem se apresentado “desafiador”, apesar do “efeito copa”. Durante o evento futebolístico, a procura pelos serviços da Level 3 diminuiu. Para os próximos meses, porém, a percepção é otimista. “Acho que as condições gerais estão dentro do esperado. Para o ano que vem, a expectativa é sempre melhorar”, diz.

Aquisição
Magno comentou ainda, ao Tele.Síntese, que a recém anunciada aquisição da norte-americana TW Telecom, por US$ 7,3 bilhões, não deve reverberar nos negócios brasileiros. “É uma operação muito localizada”, diz. Por aqui, a intenção é “implantar e liberar no mercado produtos associados a TI e comunicação, com CDN, segurança, serviços de antiddos e outros de gestão de segurança”, fala.

Em nota à imprensa, Sunit Patel, CEO da Level 3, afirma que a compra irá gerar sinergias anuais de até US$ 200 milhões e economia de despesas de capital da ordem de US$ 40 milhões. A TW Telecom é fornecedora de serviços corporativos de telecomunicações, com atuação em 75 dos Estados Unidos. A compra foi aprovada por acionistas na última terça-feira (28).

 

Anterior Anatel deve apurar se Oi está irregular em compra da BrT
Próximos Banda larga cresce 50% e ultrapassa 171 milhões de acessos em agosto