Leucotron moderniza centrais PABX IP com tecnologia do CPqD


Fabricante nacional substitui componentes importados por um sistema eletrônico embarcado desenvolvido dentro da Unidade EMBRAPII CPqD. O projeto começou pelas centrais de pequeno porte e agora alcançou as centrais de médio e grande porte.

A Leucotron Telecom acaba de colocar no mercado uma nova geração de centrais telefônicas PABX que utiliza componentes eletrônicos totalmente desenvolvidos no Brasil – em um projeto conjunto com a Unidade EMBRAPII CPqD. Esse é, na verdade, o mais recente resultado de uma parceria firmada em 2015, que teve como objetivo principal o desenvolvimento de uma solução nacional para substituir circuitos integrados importados, com risco de sofrer obsolescência ou descontinuidade de produção – o que afetaria a linha de produtos da empresa.

“A intenção foi trazer o domínio da tecnologia de componentes para dentro da empresa, de modo a reduzir os riscos decorrentes da dependência de importação e, ao mesmo tempo, facilitar a evolução das nossas soluções”, afirma José Ricardo Varejão, gerente de desenvolvimento de produtos da Leucotron. “Esse domínio é o principal resultado dos projetos desenvolvidos em parceria com o CPqD”, acrescenta.

Como Unidade EMBRAPII (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial), o CPqD desenvolveu para a Leucotron um sistema eletrônico embarcado, baseado em dispositivo de lógica programável (FPGA, do inglês Field Programmable Gate Array), destinado a substituir os circuitos integrados físicos utilizados em seus equipamentos. “Por ser programável, o fabricante pode incorporar novas funções ao componente quando achar necessário, sem precisar alterar o hardware, o que dá flexibilidade para inovar de forma ágil”, explica Luís Renato Monte, da Gerência de Sistemas Embarcados do CPqD.

A linha escolhida pela Leucotron para iniciar essa modernização tecnológica foi a Ision IP, constituída de centrais telefônicas PABX com telefonia IP integrada, que possui versões de pequeno, médio e grande porte. O primeiro projeto com a Unidade EMBRAPII CPqD teve foco nos modelos de menor porte – Ision IP 1500 e 1600 -, já comercializados há um ano. Neste segundo semestre, a Leucotron colocou no mercado as novas gerações – com componentes nacionais – das centrais Ision IP 4000 e 3000R, que são de maior porte. “Nesses casos, os dispositivos FPGA substituíram outros componentes importados, de custo mais elevado, também mantendo as funcionalidades disponíveis nas versões anteriores”, acrescenta Varejão. (Assessoria de Imprensa)

Anterior Proteste quer empresas dividindo renda de dados pessoais com consumidor
Próximos BNDES vai contratar serviço de dado móvel para 39 países

Sem comentários

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *