Lenovo conclui compra da Motorola Mobility


O grupo chinês Lenovo anunciou hoje (30) a conclusão da compra de 100% da Motorola Mobility da Google. A operação, no valor de US$ 2,91 bilhões, foi anunciada no começo do ano e aguardava aprovação de órgãos reguladores em diversos países. Com a aquisição, a Lenovo passa a ser terceira maior fabricante de smartphones do mundo.

Em conferência com jornalistas realizada nesta quinta-feira, os CEOs da Lenovo, Yang Yuanqing, e da Motorola, Rick Osterloh, confirmaram que a fabricante de smartphones passa a ser uma subsidiária do grupo chinês. A marca Motorola será mantida, mas haverá sinergias, especialmente no que tange aos canais de distribuição. Osterloh garantiu que a fusão não levará a demissões na empresa em Chicago, sede da Motorola, e disse que a cidade continuará a ser o centro de operações da Motorola.

Segundo os termos da operação, o Google ficará com a maioria das patentes da Motorola, enquanto a Lenovo fica com o portfólio de produtos. Yuanqing se diz otimista e disposto a competir pela liderança do mercado de smartphones no longo prazo. “Ao criar a terceira maior e robusta empresa para concorrer com as duas primeiras, damos ao mercado poder de escolha, competição e inovação”, comentou. A intenção é manter a fabricação do relógio Moto 360 e até voltar ao tablets.

O vice-presidente da Lenovo, Liu Jun, afirmou que a companhia espera vender 100 milhões de dispositivos móveis, incluindo tablets, até o final do ano fiscal, em março de 2015. A meta é recuperar a Motorola e fazer a subsidiária apresentar lucros em no máximo seis meses. A estratégia deve permanecer muito parecida com a atual, graças ao sucessos dos aparelhos Moto E e G, especialmente nos países emergentes, e do X e Nexus 6 nos mercados maduros.

No Brasil, as operações da Lenovo, CCE e Motorola, agora todas parte do mesmo grupo, devem continuar inalteradas. “O país é uma parte crítica de nossa operação. Vamos manter nossos compromissos e diversas fábricas”, explicou Osterloh.

O CEO da Lenovo, Yuanqing, preferiu não comentar o rumor recente, sobre a possibilidade de a empresa comprar a Blackberry. Segundo ele, a Lenovo está focada em absorver as recém adquiridas Motorola e divisão de servidores da IBM.

 

 

 

Anterior Vivo ativa rede 4G em mais 11 cidades
Próximos Vendas menores no segmento premium reduzem receitas da Samsung