Leilão italiano de WiMAX arrecada € 135 milhões


Terminou ontem, depois de nove dias de ofertas e repiques, o leilão italiano de WiMAX, que concedeu autorizações de uso de espectro na banda de 3,4 GHz a 3,6 GHz. As autorizações têm duração de 15 anos, foram negociadas em três lotes baseados em diferentes regiões italianas, e concedidas às maiores ofertas. A arrecadação pelos …

Terminou ontem, depois de nove dias de ofertas e repiques, o leilão italiano de WiMAX, que concedeu autorizações de uso de espectro na banda de 3,4 GHz a 3,6 GHz. As autorizações têm duração de 15 anos, foram negociadas em três lotes baseados em diferentes regiões italianas, e concedidas às maiores ofertas.

A arrecadação pelos blocos de freqüência atingiu o valor recorde de € 135 milhões, superando em € 10 milhões a arrecadação com a venda das freqüências no leilão francês de WiMAX. A empresa Ariadsl foi confirmada como a protagonista do leilão: apenas no último dia a empresa angariou as licenças macro-regionais na área dois  (Valle d'Aosta-Piemonte-Liguria-Toscana), área quatro (Umbria, Lazio, Abruzzo, Molise) e na Sicilia.

O valor arrecadado pelo leilão superou em muito as previsões iniciais, sobretudo graças aos repiques da Ariadsl, que contou com fundos do magnata israelense Davidi Gilo. Agora o mercado especula sobre como a empresa pretende utilizar as muitas licenças compradas, que lhe dão a possibilidade de criar uma rede WiMAX com cobertura nacional. Além desta dúvida, questiona-se também como a Ariadsl fará para recuperar os investimentos feitos no leilão, uma vez que o WiMAX é uma tecnologia que atualmente representa apenas um nicho de mercado. (Da Redação, com noticiário internacional)

Anterior Telefónica lucra US$ 30 bi na América Latina
Próximos Nome do presidente da comissão de C & T sai até terça-feira