Leilão de frequência atrai US$ 10 bilhões nos EUA


Um leilão para frequências no Advanced Wireless Services (AWS – serviço sem fio para dados, voz, etc) nos Estados Unidos está movimentando as principais empresas de comunicação do país . Depois de 20 rodadas, o total de ofertas para o espectro, licitado pelo FCC (órgão regulador americano), já alcançou US$ 10 bilhões. Nos lances, os …

Um leilão para frequências no Advanced Wireless Services (AWS – serviço sem fio para dados, voz, etc) nos Estados Unidos está movimentando as principais empresas de comunicação do país . Depois de 20 rodadas, o total de ofertas para o espectro, licitado pelo FCC (órgão regulador americano), já alcançou US$ 10 bilhões. Nos lances, os primeiros lugares são ocupados pela T-Mobile e pela Verizon Wireless, seguidas pela parceria da Sprint com as companhas de cabo Comcast, Time Warner e Advance Newhouse.

A T-Mobile ofereceu pouco menos de US$ 3 bilhões pelo espectro. A Verizon, lançou mão de US$ 2,7 bilhões, enquanto Sprint e parceiros chegaram a US$ 1,5 bilhão. Metro PCS segue com US$ 1,2 bilhão, enquanto a Cingular Wireless atacou com US$ 612 mil.

Os lances aparentemente foram muitos altos para os operadores de TV por satélite DirecTV-Echostar e Liberty. A joint-venture das companhias (Wireless DBS LLC) desistiu ontem de participar do leilão. A atitude desapontou analistas, que esperavam da joint um dos lances mais altos na disputa – com o novo espectro elas poderiam fomentar novos serviços.

Infra-estrutura
Ainda segundo analistas, os sucessivos lances de altíssimos valores estão afastando as “entrantes” que não possuem uma infra-estrutura wireless bem estabelecida. “Esse espectro é mais valioso para a T-Mobile e Verizon Wireless”, disse  Phil Marshal, do Yankee Group. Estas companhias podem capitalizar qualquer aquisição de espectro com menos investimentos e mais capacidade do que empresas relativamente novas no negócio como provedores de TV por satélite que, por sua vez, teriam que construir uma rede nacional para usar o mesmo espectro.

A parceria da Sprint com empresas de cabo pode ter mais sucesso do que as companhias de satélite, acredita Marshal. Isso, porque a empresa tem a rede e o know-how para usar qualquer espectro que venha a adquirir.
 
“O leilão está apenas começando”, decretou Roger Entner, vice-presidente de wireless telecom da consultoria Ovum. “Os competidores menos preparados estão sendo separados dos verdadeiros interessados”, acrescenta. Ele acredita que a disputa pode chegar a 60 ou 70 rodadas antes de uma definição.  (Da Redação com agências internacionais)

Anterior WiMAX: parecer da AGU pode subsidiar Minicom em tentativa de suspender leilão.
Próximos Graça Bernardes promovida na Cisco