Leilão das sobras: estudo revela dificuldades enfrentadas pelos ISPs


Um estudo realizado pela empresa de consultoria Futurion mostra que o leilão das freqüências 1.900 MHz e 2.500 MHz, lotes dos quais poderão participar pela primeira vez os provedores regionais de acesso à internet já que a cobertura é municipal, será um grande desafio para os ISPs. De acordo com as regiões estudadas, onde há maior demanda o espectro é insuficiente, o que vai elevar o preço do lance, enquanto em outras regiões sobra espectro pois não há demanda.

Segundo Caio Bonilha, diretor da Futurion e ex-presidente da Telebras, “embora a Anatel tenha arbitrado preços iniciais relativamente baixos, a oferta apresenta problemas importantes em função da oferta e demanda”. Entre as áreas estudadas pela Futurion está a área 19 (região de Campinas) onde há pouco espectro disponível para a demanda o que faz com que o número de Pontos de Acesso seja grande com consequente elevação do investimento. Já em outras regiões, a oferta supera a demanda estimada, caso de Mossoró, no Rio Grande do Norte.

Outro problema adicional apontado no estudo se refere à tecnologia. De acordo com Bonilha, a LTE é a tecnologia mais adequada. “Todavia, os preços até aqui apresentados pelos fornecedores fazem com que dificilmente os planos negócios sejam viáveis no longo prazo. O uso de outra tecnologia de menor custo esbarra no problema das frequências disponíveis”, diz ele. (com Assessoria de Imprensa)

Anterior Facebook, Google e Mercado Livre criam Associação Latinoamericana de Internet
Próximos OTT brasileira quer ser a TV paga dos provedores regionais