Lei do Bem beneficia cerca de 600 empresas em 2009


Cerca de 600 empresas utilizaram os benefícios da Lei do Bem, em 2009. A avaliação foi feita hoje pelo secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia, Ronaldo Mota. O relatório oficial deve ser divulgado até o final deste ano.   A Lei do Bem (nº 11.196/2005) prevê incentivos fiscais às …

Cerca de 600 empresas utilizaram os benefícios da Lei do Bem, em 2009. A avaliação foi feita hoje pelo secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia, Ronaldo Mota. O relatório oficial deve ser divulgado até o final deste ano.  

A Lei do Bem (nº 11.196/2005) prevê incentivos fiscais às empresas que desenvolverem inovações tecnológicas na concepção de produtos ou no processo de fabricação e agregação de novas funcionalidades ao produto. Em 2008, 441 empresas utilizaram os benefícios, ante 332 companhias em 2007 e 130 em 2006.   

A renúncia fiscal por conta da concessão dos benefícios para as 441 empresas, em 2008, foi de R$ 1,5 bilhão, para um total de R$ 8,1 bilhões investidos em pesquisa e desenvolvimento (P&D) por parte dessas companhias. “O País está mudando e percebemos que as empresas estão investindo em inovação”, disse Mota.   

Do total de R$ 8,1 bilhões aplicados em P&D pelas 441 empresas, R$ 351 milhões foram direcionados à compra de bens de capital (máquinas e equipamentos) e R$ 7,7 bilhões a despesas operacionais de custeio (são as despesas correntes, como mão-de-obra, material de consumo e contratação de serviços).   

Os setores mais beneficiados são os de mecânica, transportes, petroquímica, bens de consumo, eletroeletrônica e metalurgia. A maior parte das empresas beneficiadas se encontra no Sudeste e no Sul do País. (Da redação, com assessoria de imprensa)

Anterior Portabilidade numérica é solicitada por 4,8 milhões de assinantes
Próximos Muda a política para análise de atos de concentração