Lançamento de DWDM de 100 Gb para provedores regionais


Linha: ISCOM WS2 | Modelo HT803G

A Raisecom, fabricante global de redes ópticas com inteligência de tráfego e gerenciamento de serviços, anuncia na Futurecom 2019 a sua nova linha de soluções de rede. Os produtos apresentam capacidade de tráfego e gerenciamento compatíveis com os empregados em operadoras Tier1, mas têm como mercado alvo os provedores regionais. Nos últimos quatro anos, estes provedores passaram a disputar fortemente o mercado de serviços avançados para residências e empresas através de fibras.

DWDM 100G – Para possibilitar a estes ISPs avançar suas ofertas de serviços premium de Internet, a Raisecom lança na Futurecom o equipamento DWDM de 100 Gb, modelo iTN8600-I-XT4D. A solução possibilita ao provedor otimizar ao máximo suas estruturas ópticas e facilitar a conversão de tráfego analógico para digital sem maior expansão de investimentos.

O equipamento funciona como Transponder/Muxponder híbrido de alta densidade de portas e com baixa ocupação de espaço (apenas 1U de altura). Na extremidade da linha, ele oferece interface CFP2 (nas opções 1 × 200G ou 2 × 100G). Já na extremidade do cliente, o produto disponibiliza portas SFP ou QSFP28 com as mesmas opções de escala.

Com tecnologia híbrida de núcleo duplo, a unidade incluiu até 16 aplicações, podendo ser usado de forma versátil, como Transponder, Muxponder e/ou como Transponder/Muxponder misto.

Adotando uma arquitetura de rede adaptável, podendo alterar facilmente seu posicionamento e aplicações na criação e ampliação de redes 100G com gerenciamento remoto.

ONU AC Dualband WS2– A lista de lançamentos da Raisecom se completa com as novas ONUs (Unidade de Redes Ópticas) da linha ISCOM WS2, modelo HT803G. O equipamento possui quatro portas Gigabit Ethernet, suporta Wi-Fi nas frequências 2.4ghz/5ghz e possui duas portas FXS (POTS). Seu emprego ajuda a enriquecer a oferta do ISP com serviços de comunicação e entretenimento e negócios com maior valor agregado em termos de dados, voz e vídeo. A unidade foi desenvolvida especialmente para planos de internet superiores a 500Mbp/s.

De acordo com Márcio Cachapuz, diretor comercial, equipamentos avançados como este se tornam indispensáveis para o crescimento dos ISPs. Ele explica que as grandes operadoras atingiram um nível de expansão bastante alto e complexo, e  agora deixam de atender mais de 30% das localidades, em função de seu foco de negócios voltado para áreas mais densas.

 

Anterior Operadoras entendem que críticas à Huawei envolvem gerra comercial, diz executivo
Próximos Operadoras defendem que renovação das frequências vale para os contratos atuais

Sem comentários

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *