Jive, rede social corporativa, chega ao Brasil


A Jive, fornecedora de sistemas de redes sociais corporativas fundada em 2001, formalizou sua chegada ao mercado brasileiro nesta quinta-feira (13) contando com um cliente de peso, o Itaú. A empresa que atua no sistema de computação em núvem agora estabelece parcerias nacionais e regionais, na América Latina, para ampliar a clientela com a solução de software como serviço. Ao todo, a Jive já conta com sete parceiros integradores coma atuação local e começa a desenvolver um plano de negócio para ter escritório no país.

Apesar do primeiro cliente brasileiro do setor financeiro, a Jive conta com clientes de peso no mercado de telecomunicações global, como a T-Mobile USA e a Vodafone e o setor foi citado como um dos setores com grande potencial.  Mas a oferta de software como serviço também possibilidade a adoção por empresas de pequeno porte.
    
Confiante com sua capacidade de agregar valor aos clientes, a empresa se diz mais do que um Facebook corporativo. “Não somos uma rede social apenas, mas um aplataforma para colaboração e inovação”, disse Fernando de Allende, vice-presidente da Jive para a América Latina. A companhia afirma que uma empresa que adota a solução obtém, em um mês, 76% de engajamento nas redes sociais corporativas, 5% de crescimento nas vendas por meio de parceiros e 15% de aumento na troca de informações.

A ideia é permitir que equipes de trabalho colaborem e troquem informações de forma mais rapida e eficaz, incluindo parceiros externos às empresas, como fornecedores e clientes. A solução Jive também pode ser usada para serviço de atendimento ao cliente, com a possibilidade de redução de custos, e departamentos de marketing e vendas.

Mas mais do que criar um ambiente fechado para a interação de grupos corporativos, a Jive torna possível interação em outros ambientes. “Entendemos que as pessoas não estão sempre no nosso software. Estão lendo notícias e usando outros aplicativos então estamos criando formas para interação a partir destes outros lugares”, disse Tim Albright, evangelista da Jive.

Uma das iniciativas da empresa é criar plugins para os browsers, de forma que ao navegar na rede, o usuário do sistema possa compartilhar o conteúdo com o seu grupo na rede social corporativa. Para ampliar a possibilidade de interação da solução Jive com os demais ambientes digitais, a companhia aposta na plataforma aberta. “Quanto mais aberta a plataforma, melhor para levar o Jive para onde as pessoas estão trabalhando”, disse Albright.

Anterior Anatel propõe adequar regulamento de compras das concessionárias à política pública de TI
Próximos Governo vai desonerar folha do serviço de suporte de informática