IPTV deve impulsionar mercado de GPON em 2008


A grande aposta da indústria de telecomunicações para este ano atende pelo esquisito nome de GPON, que, na sigla em inglês, significa Gigabit Passive Optical Network,  rede passiva de fibra ótica com Gigabits de capacidade. A tecnologia de fibra é vista como sucessora das atuais redes DSL, permitindo  trasmissão de banda larga de alta capacidade, …

A grande aposta da indústria de telecomunicações para este ano atende pelo esquisito nome de GPON, que, na sigla em inglês, significa Gigabit Passive Optical Network,  rede passiva de fibra ótica com Gigabits de capacidade. A tecnologia de fibra é vista como sucessora das atuais redes DSL, permitindo  trasmissão de banda larga de alta capacidade, para o funcionamente pleno de ofertas conjugadas de triple play, (vídeo, voz e dados).  Em uma única fibra é possível colocar 64 usuários, que compartilham uma banda de 2,5 GB, e pode chegar até a 20 KM da origem do sinal, ao contrário da DSL, que só chega a 5KM, explica Reinaldo Munhoz, gerente de produto de banda larga da Alcatel-Lucent. “Isso é uma vantagem pois com a GPON a operadora passa a ter menos centros de fios, atendendo a uma área maior. Por isso hoje o mercado pensa muito em GPON, porque diminui os gastos com manutenção, e aumenta muito o raio de ação”, detalha Munhoz.

Para Marcelo Motta, diretor de tecnologia e produtos da Huawei, “a grande vantagem do GPON está no elemento passivo, melhor para replicar na rede a informação, tornando a tecnologia barata e escalável”. Ele destaca que as tecnologias PON não são novas, mas os usuários olham o serviço, e querem acessar à internet com banda larga de alta velocidade, e também demandam IPTV (serviço de tv por assinatura por meio de rede IP). “A penetração de serviço por tv por assinatura no Brasil é muito baixa em relação a outros países latino-americanos, e existe um segmento de maior poder aquisitivo, que poderia ter acesso a esse serviço e não tem”, salienta o executivo. E ressalta que “com a explosão da banda larga, registrada nos últimos anos, principalmente em 2007, vejo dois grandes cenários no Brasil em 2008: triple play para GPON, e quadriplay (com acréscimo da telefonia móvel) em 3G”.

No entanto, Motta destaca que as restrições legais, que impedem operadoras de telecomunicações de oferecerm o serviço de IPTV em sua plenitude, já que, aqui no Brasil, elas só podem oferecer vídeo on demand e não podem oferecer uma grade de programação contínua, além do custo de implementação das fibras, deverão restringir o foco das redes GPON “para assinantes classe A”. A concorrência entre as teles e as operadoras de cabo também vai favorecer a GPON, acrescenta Munhoz. Isso porque “a GPON permite o transporte do IPTV e da tv a cabo simultaneamente, configurando uma vantagem para as operadoras que são donas de empresas de tv a cabo”. A vantagem destas teles  é que elas poderão “aproveitar a rede ótica que já leva tv a cabo para a casa do assinante, e converter para GPON”, conclui.
 

Anterior Verizon Communications lucra US$ 1,07 bilhão no final de 2007
Próximos Possne é novo vice-presidente mundial de vendas e marketing da Ericsson