iPhone tem donwload mais rápido nas redes móveis brasileiras


O novo iPhone X, da Apple

Os brasileiros que usam iPhone costumam experimentar velocidades mais rápidas de navegação na internet e download a partir das redes móveis, conforme novo levantamento da consultoria Opensignal. A empresa analisou dados de navegação de 23 milhões de celulares no mundo, entre abril e junho. Fazendo o recorte apenas com os usuários locais, constatou que aqui a média de velocidade dos donos de celular Apple ficou em 21 Mbps. Os dispositivos da Huawei apresentaram 19 Mbps, e os da Samsung apenas 15 Mbps.

Há um bom motivo para isso, no entanto. A Opensignal diz que os donos de iPhone tendem a contratar planos móveis de melhor qualidade. As outras marcas ou ainda são pouco usadas aqui (como Huawei), ou são muito populares e, portanto, são usadas em planos pré-pagos, com créditos limitados ou em áreas de pior cobertura de sinal.

O mesmo fenômeno, de velocidade maior do iPhone em detrimento das demais marcas, foi visto em países como Taiwan e Costa Rica, onde Samsung e Huawei são muito mais vendidos.

Nos EUA, onde a Apple predomina, a Samsung registrou velocidades mais altas de navegação. O mesmo acontece na Noruega ou Japão, outros países onde o iPhone é mais vendido que aparelhos da Samsung, e onde usuários da coreana tem melhor velocidade de navegação.

A Opensignal dividiu os smartphones analisados em três grupos (alto, médio e baixo nível), com base na capacidade de LTE de cada dispositivo. Esse dado é um padrão da indústria de telecomunicações que reflete a capacidade móvel do celular.

No Brasil, os celulares de alto nível mais rápidos chegam a 26,6 Mbps, o que coloca o país na 39ª colocação do ranking de 73 nações. O Brasil é o melhor sul-americano nesta categoria, à frente de países como Peru (42º), Argentina (47ª) e Chile (51º). Na América Latina, o Brasil fica atrás apenas do México, 36º colocado. No caso dos aparelhos de nível médio, a velocidade média foi de 16,9 Mbps. Nos de baixo nível, de 14,3 Mbps.

Anterior Sky migra para a nuvem, reduz custos e "time to market" na área de TI
Próximos Galaxy Note 10, da Samsung, terá 5G