Investimentos em TI na AL devem crescer 12% em 2012


A taxa de crescimento dos investimentos em TI na América Latina deve ser quase o dobro da média mundial em 2012, fechando o ano em mais de US$ 97 bilhões, com foco na expansão das redes de telecomunicações móveis, que a consultoria IDC aponta como uma das principais tendências para o ano. Segundo pesquisa da companhia, a demanda criada pela crescente base instalada de smartphones incentivará investimentos nas redes de 3G e 4G, que serão ampliadas a “taxas exponenciais”.

 

A IDC espera que a região latino-americana feche o ano com um total de 80 milhões de smartphones, 71% maior que no final de 2011, com o Brasil representando o grosso das vendas no ano. “No Brasil, em apenas três semanas serão vendidos mais smartphones do que toda a região venderá em um ano”, disse o vice-presidente de pesquisa e consultoria da IDC para a América Latina, Ricardo Villate.

 

A projeção também é de um crescimento agressivo para tablets em toda América Latina, embora continuarão representando uma porcentagem muito pequena das vendas totais de PCs, com umas base instalada de apenas 2,1 milhões. A companhia reafirmou que não prevê que os aparelhos substituirão o computador tradicional tão cedo.

 

Outra tendência apontada pela consultoria para 2012 é a continuação das importações de produtos asiáticos de baixo custo – especialmente da China –, que entrarão com ainda mais força na região. A indústria brasileira já vem sentindo as pressões desse movimento em diversos setores, como o de celulares, em que as importações saltaram 76% em 2011, segundo a Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee).

 

Cloud

No setor corporativo, a grande aposta da IDC é na “maioridade” da computação em nuvem, que deixará de ser hype e começará sua transição final. “Até o final de 2012 também teremos a aparição de cloud para PMEs”, previu Villate. A consultoria espera que os serviços em cloud representem US$ 280 milhões no mercado de TI latino-americano até o final do ano. Já o mercado de armazenamento de dados devem arrecadar US$ 370 milhões, entre hardware, software e serviços, devido ao crescimento exponencial do volume de informações produzido, que segundo a IDC chega a 50% anualmente. (Da redação)

Anterior MPF/GO culpa Anatel e Procon por falhas no atendimento aos usuários de telefonia
Próximos Recursos do Funttel poderão ser usados para comprar ações de empresas tecnológicas