Internet paga por dono de conteúdo estréia no Brasil


Muito se falou da internet 0800, um modelo pensado pela Qualcomm juntamente com o governo brasileiro, que permite que os cidadãos, mesmo sem terem contratado pacote de internet móvel, possam acessar os serviços de e-gov. No universo privado, porém,  esse modelo vem sendo chamado de internet patrocinada e foi anunciado pela AT&T em janeiro. O modelo é interessante para as operadoras porque lhes garante a ampliação de seus potenciais clientes: os donos do conteúdo podem investir para que usuários/clientes o acessem.

No caso do Brasil, a primeira experiência do tipo foi anunciada esta semana pelo Bradesco, que fechou acordo com todas as operadoras. Os correntistas do banco poderão checar as informações da conta sem que os dados utilizados para isso sejam descontados dos planos de dados pré ou pós-pagos. Na verdade, mesmo clientes sem planos de internet móvel podem usar o serviço de mobile banking.

O fato do modelo de internet patrocinada ter chegado ao Brasil por instituições financeiras dá a medida do tipo de cliente que as operadoras passam a ter. O fato ganha ainda mais peso em países em que a capacidade de boa parte da população de manter assinaturas de serviços de telecomunicações é restrita. Segundo pesquisa do IPEA divulgada nesta quinta-feira (13), apenas 38% dos domicílios do país tinham ao menos uma pessoa que utiliza internet no celular.

Bradesco
Hoje, 3,2 milhões de clientes do Bradesco já se utilizam do celular para realizar operações bancárias, o dobro na comparação com 2012. A expectativa do banco é aumentar a frequência e dobrar o número de usuários do canal até o final do ano. Em 2013, mais de 800 milhões de transações foram realizadas por meio do Bradesco Celular, um crescimento de 130% em relação ao ano anterior. O número já ultrapassa o total de operações realizadas no canal de atendimento ao cliente por meio de telefonia fixa, o Fone Fácil Bradesco.

“O acesso à conta gratuito pelo celular vai favorecer também a inclusão financeira, pois estaremos franqueando um canal de atendimento extremamente popular e de fácil manejo”, afirmou o vice-presidente do Bradesco, Maurício Machado de Minas.

Entre os serviços mais utilizados estão, pela ordem, transferências entre contas, pagamentos de boletos e operações via home broker. No total, o volume financeiro do Bradesco Celular alcançou, no ano passado, a marca de R$ 5,6 bilhões, 400% superior a 2012.

Anterior Anatel destina frequência para uso de drones pela segurança pública
Próximos Proposta de plano de acompanhamento dos contratos de concessão divide Anatel