Há quase quatro décadas no mercado, a fabricante Intelbras ampliou, e diversificou, sua produção nos últimos anos e investe, agora, num programa de canais. Os planos são de manter o crescimento, que tem alcançado, na média, 25% ao ano, e atingir, em 2022, um faturamento de R$ 3,5 bilhões. “Este ano estamos alcançando a meta de R$ 1 bilhão em receitas e os planos são de manter esse crescimento nos próximos 9 anos”, informou, hoje, o presidente da Intelbras, Altair Silvestri, em coletiva de imprensa.

A empresa, com capital 100% nacional, começou atuando no mercado de telecomunicações em 1976 e, ao longo dos anos, criou também as unidades de redes e de segurança. O setor de telecom ainda é o principal e responde por 40% das receitas mas a expectativa do presidente da empresa é que, em dois a três anos, o segmento de segurança, que hoje representa 30% das receitas, passe a ser o carro chefe. Na composição das receitas, o setor de redes representa 20% e os 10% restantes são classificados como “outros negócios”. No ano passado, o faturamento da Intelbras foi de R$ 824,1 milhões. Segundo Silvestri, a companhia investe 5% de seu faturamento em Pesquisa e Desenvolvimento e tem 250 profissionais na área de P&D.

Diversificação

Com sede na cidade de São José, em Santa Catarina, a Intelbras lançou, em 1987, a primeira central PABX com tecnologia nacional e até os anos 90 apostou no setor de governo, vendendo 90% de sua produção para as operadoras do Sistema Telebras. Com a crise dos anos 90, redirecionou sua estratégia, focando mais no setor privado. Iniciou também a diversificação de seus produtos, com o lançamento da linha sem fio e, nos anos 2000 começou a exportar.

“Hoje exportamos para 19 países da América Latina e África”, conta Silvestri. Apenas 7% da produção são destinados para a exportação, mas Silvestri informou que a empresa trabalha para ampliar os negócios no exterior. “Estamos investindo em uma filial no México, que já tem mais de 40 colaboradores, e já temos um escritório em Shenzhen, na China”, anunciou.

No Brasil, tem filiais em Santa Rita do Sapucaí, em Minas Gerais; em Palhoça e Blumenau, Santa Catarina, e produz também em Manaus, onde inaugurou sua planta em 2009. Seus produtos estão em mais de 40 mil pontos de venda e tem 18 mil revendedores, com os quais inicia seu programa de canais. “Criamos uma plataforma extranet para que os canais acompanhem sua vida dentro da Intelbras”, informou Márcio Ferreira, diretor de Canais. Pela plataforma, será possível fazer pedidos, verificar o estágio da produção ou da entrega, por exemplo. “É uma nova forma de gestão e de relacionamento”, destacou.

A empresa mantém a produção de centrais PABX, telefones com e sem fio, switches, placas de redes, entre outros da unidade de telecom/rede, e acrescentou ao seu portfólio outros produtos como sistemas der alarme, sensores para detecção de incêndio e iluminação de emergência, que compõem sua unidade de segurança. Para aumentar sua participação neste segmento, no ano passado, adquiriu as empresas Engesul e Automatiza.