Intel quer fazer os chips que farão as redes 5G funcionarem


A Intel, companhia norte-americana fabricante de processadores, lançou hoje, 10, nos Estados Unidos, nove novos produtos com o objetivo se transformar em um competidor no segmento de infraestrutura de redes. O objetivo que seus chips Xeon D-1500 estejam embarcados nos equipamentos de rede de próxima geração.

“Mais de 50 designs de redes armazenamento e nuvem, armazenamento empresarial e sistemas IoT usando a família de produtos do processador Intel Xeon D-1500 estão em desenvolvimento”, diz a empresa, em nota.

Segundo a Intel, as redes atuais não foram projetadas para permitir que operadoras e provedores ampliem de forma rápida, ou com um bom custo e benefício, sua infraestrutura. “As redes de telecomunicações precisam ser re-projetadas, com capacidade de programação aumentada e flexibilidade embarcada por toda a infraestrutura para lidar com o aumento esperado no volume e na complexidade do tráfego de dados”, diz no comunicado.

Para participar dessa transformação, a Intel vem estabelecendo parcerias. Já trabalha com Cisco, SK Telecom e Verizon para criar novos produtos e contribuir para a implementação de “redes mais flexíveis e responsivas hoje e estabelecer bases para futuras redes 5G”.

Hoje, anunciou parceria com a América Móvil. A operadora mexicana contratou a fabricante de chips para oferecer consultoria em tecnologia para a evolução de suas redes. “A Intel fornecerá suporte e experiência para a América Móvil à medida que ela moderniza sua infraestrutura para acelerar o lançamento de novos serviços, automatiza seus processos e reduz os custos operacionais da sua rede na América Latina e Europa”, diz na nota. O valor do negócio não foi revelado, nem sua duração.

A Intel lançou, também, hoje uma nova família de controladores Ethternet. Os equipamentos, batizados de FM10000, traz recursos de switch para redes de comunicações de alto desempenho e plataformas de servidores. Tem até 200 Gbps de conectividade multi-host com alta largura de banda e múltiplas portas 100 Gigabit Ethernet.

Outra parceria divulgada nesta terça-feira foi com a Red Hat, para o desenvolvimento e adoção de padrões abertos em redes de telecomunicações, especialmente SDN e NFV. “As empresas trabalharão juntas para otimizar o fornecimento de soluções para operadoras baseadas no software da Red Hat e na tecnologia da Intel, desenvolver conjuntamente diagramas de soluções para casos de uso de redes de comunicações e realizar testes de interoperabilidade em suas plataformas com outras soluções do ecossistema”, afirma a Intel. O valor do acordo também não foi divulgado.

Anterior Neutralidade da rede pode ter carta de princípios
Próximos Figueiredo quer concertação no governo para lançar Banda Larga para Todos em 2016