Intel anuncia investimentos de R$ 300 milhões em P&D no Brasil


A Intel vai investir R$ 300 milhões em cinco anos na instalação de células de excelências de Pesquisa e Desenvolvimento, focando três áreas: educação, energia e transporte, para desenvolvimento de produtos no Brasil. Essa é uma aplicação recorde da empresa norte- americana em P&D no país, onde atua há 25 anos.

 

O anúncio foi feito nesta quarta-feira (27), em ato realizado no Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), que vai oferecer, em contrapartida, bolsas de estudos para que pós-graduandos, professores e pesquisadores passem um período em unidades de pesquisas da Intel, por meio de edital. Segundo o ministro Marco Antonio Raupp, o projeto da Intel está alinhado ao programa TI Maior, com ações na área de Tecnologia da Informação, lançado em agosto, e que visa aumentar a competitividade brasileira por meio da inovação.

O presidente da Intel no Brasil, Fernando Martins, disse que a empresa também investirá em desenvolvimento de software aqui. “Os estudos apontam que o Brasil será a 5ª maior comunidade de desenvolvimento de software até 2015, com a participação de 70 mil empresas de pequeno porte, que trabalham com um espectro muito grande de soluções e o papel da Intel será capacitar, dá a mão a esses empreendedores para que o ecossistema floresça”, disse.

Com os investimentos da Intel, sobe para três as empresas internacionais que decidiram investir em P&D no Brasil nos últimos 12 meses. As outras duas foram: Microsoft e EMC. Segundo Raupp, a política de compras do governo, que dá preferência ao produto desenvolvido no país, tem ajudado na decisão dessas multinacionais.

Transferência de tecnologia

O presidente da Intel na América Latina, Steve Long, disse que as células de excelência, que serão espalhadas pelo país, formarão o primeiro polo de tecnologia da empresa na região e que o país foi escolhido em função das atuais políticas públicas, como o Plano Nacional de Banda Larga e o programa TI Maior, alem da paixão do brasileiro pela tecnologia. Ele afirmou que nessas células haverá transferência de tecnologia a pesquisadores.

O secretário de Política de Informática do MCTI, Virgílio Almeida, disse que ações como a da Intel são muito bem vindas, já que ficou constatada que a pesquisa nas empresas se aproxima mais do desenvolvimento, do que as realizadas na academia. E que o conjunto dos dois tipos de pesquisa é que garante a inovação.

Na área da Educação, o foco das pesquisas será maior eficiência do ensino. Na área de energia, o objetivo é criar novas soluções de simulação e visualização construídas especificamente para a exploração do pré-sal. E no transporte, a ideia é desenvolver um conjunto de soluções baseadas em tecnologias de ponta em interface máquina-máquina visando aumentar a eficiência na gestão de trânsito.

Um interesse específico da Intel são as pesquisas em desenvolvimento por sete universidades em cinco estados sobre o uso de criptografia com baixo gasto de energia. “Essa área é crítica para a empresa, que trabalha fortemente com criptografia na nuvem”, disse Martins.

Anterior MWC: Em breve todo smartphone vai ter um NFC
Próximos Gasto global com smart grid dobra em 2012