shutterstock_ Deniseus_industria

A indústria de tecnologia da informação está respirando um pouco mais aliviada com a portaria publicada hoje, 29, pelo MCTIC, que concede mais prazo para a apresentação dos relatórios com a prestação de contas dos investimentos em pesquisa e desenvolvimento (P&D) em contrapartida aos incentivos fiscais da Lei de Informática.

Ao invés dos 30 dias estipulados anteriormente, o governo está concedendo um mês para cada ano a ser informado e mais algum acréscimo de tempo para os casos mais complexos.

Segundo Anderson Jorge, diretor da Abinee, a prorrogação do prazo para a apresentação dos relatórios era um pleito da indústria, visto que as empresas estão fazendo o retrabalho dos últimos 10 anos.

Ele assinalou que as empresas, desde 2006, entregam anualmente, até julho, o relatório de prestação de contas dos investimentos em P&D obrigatórios por lei ao ministério e que, ano após ano, a Abinee tem mantido reuniões com os técnicos do governo solicitando a análise desses relatórios. O que só começou a ocorrer agora, 10 anos depois.

“As empresas estão representando as  informações, com um enorme retrabalho. Informações de 10 anos atrás, envolvem até pesquisadores que  já morreram. Esperamos que o governo tenha agora agilidade e devolva a análise para as empresas. Não pode é ficar outros 10 anos para responder. Para a política industrial, é  ruim a questão ficar em aberto”, afirmou o executivo.