Indústria eletroeletrônica leva propostas de expansão a presidenciáveis


A indústria eletroeletrônica uma pauta de reivindicações para os candidatos à Presidência da República e a governo dos estados visando o desenvolvimento do setor. Entre as propostas, estão a redução da carga tributária incidente sobre a produção; desburocratização do Executivo; novo papel para o BNDES; crédito fiscal para investimentos; isenção tributária para os bens de capital; realização de acordos bilaterais e regionais; manutenção da taxa de câmbio depreciada e estável e política realista de preços administrados.

Para a área de TIC os pedidos vão desde a autorização para destinação das aplicações dos recursos de P&D, exigidas dos produtores de bens incentivados, para o desenvolvimento da capacitação dos fornecedores locais e integradores de soluções, inclusive design houses a flexibilização do Processo Produtivo Básico. Por essa proposta, o PPB seria transformado em um instrumento que permita a empresa escolher as etapas de valor agregado local mais adequadas ao seu produto e à sua operação, assegurando produtividade, escala e, principalmente, competitividade para as empresas do setor.

Para o presidente da Abinee, Humberto Barbato, as propostas pressupõem investimentos em longo prazo, que definitivamente garantam a inserção do Brasil entre os países mais desenvolvidos. “O plano nacional de desenvolvimento que se deseja para o Brasil passa, necessariamente, pela retomada da expansão industrial”, salienta o empresário.

As propostas já foram apresentadas ao ministro da Fazenda, Guido Mantega, mas logo serão levadas para os assessores de outros presidenciáveis, disse Barbato.

Anterior Com SDN, Ciena quer crescer no mercado brasileiro
Próximos Leilão da 700 MHz: radiodifusão reclama de valores destinados à limpeza da faixa