Indústria eletroeletrônica deve faturar R$ 123,7 bilhões em 2008


O crescimento da indústria eletroeletrônica em 2008 será de 11%, na comparação com 2007, registrando um faturamento total de R$ 123,7 bilhões, conforme estimativa da Abinee (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica), que projeta para 2009 um crescimento de 7% (numa conjuntura em que o PIB teria aumento de 3%). Os investimentos, no entanto, …

O crescimento da indústria eletroeletrônica em 2008 será de 11%, na comparação com 2007, registrando um faturamento total de R$ 123,7 bilhões, conforme estimativa da Abinee (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica), que projeta para 2009 um crescimento de 7% (numa conjuntura em que o PIB teria aumento de 3%). Os investimentos, no entanto, de R$ 6,2 bilhões em 2008, devem cair para R$ 5,3 bilhões em 2009, queda de 14%.

O bom desempenho deste ano se deve ao crescimento econômico do país, com efeitos positivos do PAC, decorrentes de investimentos na construção civil, no saneamento e na infra-estrutura de energia elétrica e nas ações para disseminação da Tecnologia da Informação, conforme destacou o presidente da Abinee, Humberto Barbato, na divulgação dos dados, hoje, em coletiva de imprensa. A despeito dos impactos da crise mundial em alguns setores da economia, no setor coberto pela Abinee os efeitos “serão mais suaves” e não haverá demissões. “O nível de emprego deve ser mantido no patamar deste ano”, destacou Barbato. O setor contratou 9,4 mil profissionais e deve fechar 2008 com 165,5 mil empregados.

Com exceção dos setores de componentes elétricos e eletrônicos (queda de 5%) e de utilidades domésticas (0%), todas as demais áreas da indústria eletroeletrônica devem fechar o ano com crescimento expressivo no faturamento. O crescimento nas exportações deve ser de 11%, fechando em US$ 10,3 bilhões, contra US$ 9,3 bilhões em 2007. Já as importações devem atingir, neste ano, US$ 33,7 bilhões, superando em 40% as de 2007. Assim, o déficit no setor será da ordem de US$ 23,4 bilhões, 59% acima do registrado em 2007 (US$ 14,7 bilhões). Os produtos mais importados devem ser componentes para informática, semicondutores e componentes para telecomunicações que, juntos, totalizarão mais de US$ 13 bilhões. A maior demanda em importação continua sendo de componentes elétricos e eletrônicos, que devem totalizar US$ 19 bilhões (40% a mais em relação a 2007).

Os diretores da Abinee destacaram, no balanço, que nos últimos cinco anos, enquanto o crescimento real da indústria eletroeletrônica foi de 50%, o déficit comercial dos produtos do setor evoluiu 340%, passando de US$ 5,3 bilhões em 2003 para os US$ 23,4 bilhões em 2008. Para 2009, as projeções da Abinee indicam que o déficit deve ficar em US$ 24,4 bilhões, com as exportações crescendo 13% e somando US$ 11,7 bilhões; e as importações caindo para 7% e fechando em US$ 36 bilhões. Para estimar os números de 2009, a Abinee está considerando a cotação do dólar em R$ 2,20.

 

Anterior Berlusconi quer G-8 regulando a internet
Próximos Anatel e operadoras celulares vão depurar base de assinantes